Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Caso de ébola confirmado na Escócia

Vírus foi diagnosticado a uma mulher que esteve na Serra Leoa a trabalhar em ajuda humanitária e que regressou a Glasgow no domingo. Está internada e em isolamento desde a manhã desta segunda-feira. 

O governo escocês confirmou esta segunda-feira o diagnóstico do vírus do ébola a uma paciente que chegou da Serra Leoa no domingo e que está já a ser tratada num hospital em Glasgow, na Escócia, Reino Unido, avança a BBC.  

Em causa está uma mulher que trabalha na área da ajuda humanitária e que chegou da Serra Leoa no domingo à noite. Está agora internada no Hospital Gartnavel, em Glasgow.  O serviço de saúde escocês disse que os procedimentos em casos de doenças infecciosas já foram postos em funcionamento.  

A Sky News avança ainda que a paciente deu entrada no hospital esta segunda-feira de manhã, depois de se ter sentido mal, tendo sido posta em isolamento. 

"Os nossos primeiros pensamentos neste momento estão com a paciente a quem foi diagnosticado ébola, aos seus amigos e família. Desejo-lhes uma recuperação rápida", disse Nicola Sturgeon, primeira-ministra da Escócia, numa conferência de imprensa, citada pela Sky News. "A Escócia tem-se vindo a preparar para esta possibilidade desde o início do surto na África Ocidental e estou confiante que estamos bem preparados." 

Nicola Sturgeon acrescentou ainda, de acordo com a BBC, que se crê que a paciente tenha estado em contacto apenas com uma outra pessoa desde que chegou. 

A porta-voz da companhia aérea British Airways disse estarem a trabalhar de perto com as autoridades de saúde em Inglaterra e na Escócia. "A segurança dos nossos clientes e tripulação são a nossa principal prioridade e o risco para as pessoas a bordo daquele voo em particular é extremamente baixo", disse, citada pela BBC. 

Ainda que os especialistas em saúde pública relativizem os riscos, foi criada uma linha telefónica para quem tenha estado no voo entre o aeroporto de Heathrow, em Londres, e Glasgow, na Escócia.

A BBC avança ainda que a doente vai ser transferida para um hospital com um nível de isolamento mais elevado, em Londres, assim que possível, e que, por enquanto, estão a ser investigados todos os contactos que a doente possa ter tido.

Atualmente o número de infetados com o vírus ultrapassou os 20 mil na Serra Leoa, Libéria e República da Guiné, segundo a Organização Mundial de Saúde. A epidemia causou 7.842 mortes até agora. Mais de um terço dos casos está na Serra Leoa, que se tornou o país mais afetado pelo vírus.

Notícia atualizada às 19h46