Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Bush tinha conhecimento dos "programas de tortura" da CIA

Em 2009 Barack Obama proibiu o uso de técnicas de tortura em interrogatórios realizados pela CIA

KEVIN LAMARQUE/REUTERS

O ex-Presidente dos Estados Unidos tinha conhecimento dos métodos de tortura utilizados pela CIA, Não sabia era onde se situavam os locais dos "interrogatórios intensivos".

O ex-diretor da CIA, Michael Hayden, revelou esta quarta-feira nunca ter mentido para o ex-presidente dos Estados Unidos sobre as práticas de interrogatório realizadas pela Agência Central de Informação (CIA).

Numa entrevista concedida à revista "Politico", Michael Hayden garante que "o Presidente aprovou pessoalmente as práticas de simulação de afogamento realizadas a Abu Zubadaydah", líder de um campo de treino da Al-Qaeda. E afirma que está tudo descrito "no livro escrito por Bush".

De acordo com um relatório publicado pelo Comité de Serviços Secretos (CSS) do Senado americano, o ex-Presidente George W. Bush terá sido informado sobre os métodos de tortura realizados a suspeitos de ataques terroristas ainda em abril de 2006.

O documento revela ainda que, nessa altura, Bush terá manifestado repúdio ao ver imagens "de um preso acorrentado ao teto que usava uma fralda".

Dick Cheney, ex-vice presidente da administração Bush, assegurou esta quinta-feira em entrevista à estação televisiva Fox que George W. Bush tinha conhecimento "integral dos métodos de tortura realizados", acrescentado ainda que "o relatório estava cheio de erros".

Segundo Michael Hayden, a única coisa que o ex-Presidente não sabia era dos "locais onde os prisioneiros se encontravam".

Aumenta a pressão na Casa Branca

Em declarações ao canal espanhol Telemundo, o Presidente Barack Obama tentou justificar as ações da CIA e do ex-Presidente George W. Bush, defendendo que "ninguém pode compreender como é ser-se responsável pela segurança e proteção do povo americano no rescaldo do pior ataque ao nosso território nacional".

De acordo com a Casa Branca, cabe ao Departamento de Justiça decidir se devem reabrir um inquérito criminal contra os responsáveis pelos interrogatórios da CIA.

Depois de Obama ter proibido, em 2009, a utilização de métodos controversos nos interrogatórios da CIA, veio agora afirmar que as técnicas de tortura prejudicam a autoridade moral dos Estados Unidos. "Pode ser que este relatório nos ajude a deixar estas técnicas onde elas pertencem, no passado", acrescentou.