Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Boko Haram matou pelo menos 32 pessoas e raptou 185 mulheres e crianças

A Cruz Vermelha ajuda um grupo de deslocados devido a ataques do Boko Haram, que se têm multiplicado pela Nigéria

REUTERS

O ataque ocorreu domingo numa aldeia remota do noroeste da Nigéria, mas só agora se tornou conhecido, após os sobreviventes terem conseguido chegar à cidade de Maiduguri.

Guerrilheiros do Boko Haram mataram pelo menos 32 pessoas e raptaram 185 mulheres e crianças de Gumsuri, uma aldeia de uma região remota do noroeste da Nigéria, num ataque ocorrido domingo, segundo relatam testemunhas e responsáveis locais.

"Depois de matarem os nossos jovens, os guerrilheiros levaram as nossas mulheres e filhas", afirmou Mukhtar Buba, um dos sobreviventes citado pela Agência France Press, após ter conseguido chegar a Maiduguri, capital do estado Nigeriano do Borno.

A informação sobre o ataque só agora se tornou conhecida devido à inacessibilidade do local onde ocorreu, no qual não há sequer acesso a redes de comunicações móveis.

Os guerrilheiros chegaram em camiões de caixa aberta e abateram os homens da aldeia, levando depois as mulheres e crianças.

"Eles juntaram as mulheres e crianças e levaram-nas nos camiões depois de terem queimado a aldeia quase toda com cocktails molotov", referiu um responsável das autoridades locais, citado pela CNN, falando sob anonimato devido aos receios de represálias.

Ainda segundo a CNN, centenas de habitantes de Gumsuri continuam a chegar a Maiduguri, que tem recebido milhares de pessoas que abandonaram as suas cidades e aldeias devido aos ataques do Boko Haram.

Entretanto, o ministro da Defesa dos Camarões anunciou que as suas forças militares mataram na quarta-feira 116 guerrilheiros nigerianos que haviam atacado uma base militar próxima da fronteira com a Nigéria.