Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Balanço. Mais de mil e trezentos mortos em sismo no Nepal

  • 333

Navesh Chitrakar / Reuters

O sismo de magnitude 7.9 na escala de Richter é considerado o maior a atingir o Nepal desde 1934. Vários edifícios ficaram em destroços e contabilizam-se ainda mais de mil mortos e milhares de feridos, só no Nepal.

Foi declarado estado de emergência no Nepal. De acordo com um novo balanço oficial sobre sobre o impacto do sismo de magnitude 7.9 na escala de Richter, que este sábado se fez sentir no Nepal, o número de mortos é de de 1.300, valor que ainda poderá aumentar, segundo avança uma fonte do Governo. 

"O balanço de mortos atingiu os 1.300", declarou um porta-voz da polícia, citado pela imprensa internacional, que acrescenta que mais de 4.000 ficaram feridos. "Os trabalhos de socorro prosseguem". Os danos mais graves foram registados na capital nepalesa, Katmandu.

A informação é avançada por uma fonte policial, à agência Reuters. Até ao momento, ainda não se sabe o número exato de feridos, mas a Lusa noticia que deverão ser mais de mil pessoas. Países como a Índia, China e os Estados Unidos já anunciaram o envio de equipas de ajuda humanitária ao país. 

O cenário é caótico. Vários feridos estão a ser tratados no exterior dos hospitais. Pessoas amontoam-se nas ruas, com receio, e alguns edifícios históricos da capital são agora destroços, descrevem à CNN algumas testemunhas no local. Um prédio de nove andares colapsou, provocando dezenas de mortos, e a torre histórica de Dharara, do século XIX, desabou e pelo menos 50 pessoas ficaram presas. 

O sismo, que ocorreu às 12 horas locais (7 horas em Lisboa), teve o seu epicentro 80 quilómetros a leste de Pokhara. Os maiores estragos tiveram lugar em Katmandu, onde vive cerca de um milhão de pessoas.

Mas o terramoto fez-se ainda sentir no norte da Índia, até Nova Deli (onde foi reportada uma magnitude de 5.0 na escala de Richter), provocando pelo menos 36 mortes, na sequência de colapsos de edifícios em regiões como Uttar Pradesh e Bihar. China (12 mortes) e Bangladesh (4) também foram afetados. 

Os estragos chegaram ainda ao cume mais alto do mundo, o monte Evereste, provocando avalanches nas montanhas e a morte de montanhistas e de cerca de 20 pessoas. O montanhista Alex Gavan, na sua conta de Twitter, escreveu: "Um enorme sismo no campo de base do monte Evereste e uma grande avalanche a partir de Pumori [montanha nos Himalaias]. Tento salvar-me e corro pela minha vida a partir da minha tenda. Não estou ferido. Muitas, muitas pessoas na montanha". 

Este já é considerado o maior terramoto a atingir o Nepal desde 1934, ano em que um sismo de magnitude 8.0 se fez sentir perto do monte Evereste, tirando a vida a mais de 10 mil pessoas.  

 

[notícia atualizada às 20h42]