Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Amanda Knox e ex-namorado absolvidos do crime de homicídio

  • 333

FOTO Franco Origlia/Getty Images

"Estou tremendamente aliviada e agradecida pela decisão do Supremo Tribunal de Itália", disse a jovem norte-americana.

O Supremo Tribunal de Justiça italiano decidiu esta sexta-feira anular as condenações de Amanda Knox e do ex-namorado Raffaele Sollecito do crime de homicídio da estudante britânica Meredith Kercher em 2007. 

"A verdade venceu. Estou contente pelo facto de ela ter sido declarada inocente", afirmou David Marriott, porta-voz da jovem norte-americana, citado pela Reuters. 



Mais tarde Amanda Knox divulgou um comunicado, revelando estar feliz com a decisão da Justiça italiana. "Estou tremendamente aliviada e agradecida pela decisão do Supremo Tribunal de Itália", disse.

A norte-americana Amanda Knox e o ex-namorado italiano Raffaele Sollecito eram acusados de terem esfaqueado até à morte a estudante britânica Meredith Kercher, de 21 anos, que realizava um intercâmbio na Perugia, em Itália. A vítima foi encontrada morta na casa que partilhava com Amanda Knox no dia 2 de novembro de 2007.

A acusação alegava que Meredith Kercher teria sido morta por não querer participar numa orgia sexual com álcool e drogas. Mas tanto Amanda Knox, como Raffaele Sollecito negaram sempre o crime.



Em 2009, Amanda Knox e Raffaele Sollecito foram condenados pelo homicídio da estudante britânica, com penas de 28 anos e meio e 25 anos de prisão, respetivamente.

Depois de quatro anos detida, a jovem norte-americano regressou aos EUA na sequência da suspensão das penas em 2011. No entanto, a acusação pediu depois recurso, tendo sido declarados ambos culpados pelo crime pelo Tribunal de Recurso de Florença, em janeiro de 2014.