Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Altitude. A grande incógnita da tragédia nos Alpes

  • 333

A zona onde o avião caiu

FOTO EPA

Ao contrário do referido em anteriores informações, o avião A320 da Germanwings que caiu numa zona montanhosa a sul dos Alpes franceses, causando a morte de 150 pessoas, não enviou qualquer sinal de socorro. Pouco depois de ter atingido a altitude de cruzeiro de 38 mil pés, o aparelho começou a perder altitude.

Os motivos que levaram o Airbus A320 da Germanwings a começar a perder altitude, antes de se ter despenhado numa zona remota montanhosa a sul dos Alpes franceses, permanecem uma incógnita completa.

Os investigadores estão à procura de pistas sobre os motivos do acidente que causou a morte dos 144 passageiros e seis membros da tripulação.

Ao contrário de anteriores informações, o aparelho não enviou qualquer sinal de socorro, revelaram as autoridades francesas de aviação civil. "O aparelho não lançou qualquer sinal de emergência, mas foi a combinação de perda do contacto de rádio e a descida do aparelho que levou o controlador [aéreo] a acionar os procedimentos de emergência", referiu um porta-voz da Direção Geral da Aeronáutica Civil.

O A320 da companhia de baixo custo germânica terá partido de Barcelona às 10h01 (9h01 em Lisboa), num voo com destino a Düsseldorf, segundo dados do aeroporto espanhol. Os responsáveis da companhia aérea indicaram que atingiu a altitude de cruzeiro de 38 mil pés (11.580 metros) aos 44 minutos de voo, mas um ou dois minutos depois começou a perder altitude - não são conhecidas as causas até ao momento.

A descida manteve-se durante pelo menos oito minutos. Quando perdeu o contacto com o radar, às 10h53, o aparelho encontrava-se a seis mil pés de altitude (1830 metros).

O primeiro-ministro francês, Manuel Valls, declarou que, "nesta fase, nenhuma hipótese pode ser afastada" para explicar o acidente.