Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Alta tensão em Paris com nova mobilização contra casamento 'gay'

Depois de uma semana marcada por incidentes, duas manifestações, uma contra e outra a favor do "casamento para todos" e da adoção de crianças por casais homossexuais, fazem subir a tensão em Paris.

Daniel Ribeiro, correspondente em Paris

As autoridades receiam novos incidentes violentos na capital francesa, onde se vão cruzar esta tarde manifestantes por e contra a proposta de lei "casamento para todos", que deverá ser definitivamente votada na Assembleia Nacional (AN) na próxima terça-feira.

 

Na última semana, verificaram-se tumultos e confrontos com alguma gravidade que chegaram mesmo ao Parlamento, onde deputados de direita e de esquerda se envolveram numa algazarra, na sexta-feira de manhã, que quase chegou a cenas de pugilato.  

 

Grupos radicais ligados à extrema-direita multiplicaram ultimamente ataques físicos contra homossexuais em ruas e bares de algumas cidades e verificaram-se confrontos de manifestantes com a polícia durante praticamente todos os últimos dias, designadamente nos arredores da AN, em Paris.

 

A tensão é tal que até o jornal "Le Parisien", o diário mais popular de França, publica hoje esta manchete: "Manifestação contra o casamento gay - CALMA!".

 

As manifestações contra a legislação defendida pelo Governo socialista têm surpreendido pela forte mobilização mas, geralmente, ao fim do dia, têm resvalado para a radicalização e confrontos com a polícia.

"Vocês estão a assassinar crianças"

"Um pai e uma mãe" tem sido a palavra de ordem mais gritada pelos manifestantes. A proposta de lei "casamento para todos" - sobretudo, a possibilidade de adoção de crianças por casais homossexuais - dividiu profundamente a França. "Vocês estão a assassinar crianças" disse um deputado da direita, na quinta-feira passada, na AN, provocando uma enorme balbúrdia no hemiciclo.

 

Tentando não deixar a rua apenas aos que contestam a lei, associações homossexuais, apoiadas por partidos de esquerda, convocaram também para a tarde de hoje, em Paris, uma manifestação sob o lema "Stop à homofobia".

 

"Recusamos ver a rua dominada por grupos violentos, fascizantes, sexistas e racistas", explica a associação "Act up" num comunicado.

 

Esta manhã, os organizadores da manifestação contra o casamento gay também apelaram à calma e disseram condenar os grupos radicais homofóbicos que se têm infiltrado nos seus desfiles e, até, nas suas orações coletivas.