Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Aldeia com 2300 anos descoberta em Israel

A companhia de gás alterou os planos da construção do gasoduto, fazendo-o passar sob a aldeia para permitir que o sítio fosse preservado

PASCAL PARTOUCHE

Arqueólogos israelitas encontraram uma aldeia nos arredores de Jerusalém, durante a contrução de um gasoduto.

Patrícia Cadete

As ruínas de uma comunidade rural com cerca de 2300 anos de idade foram descobertas por arqueólogos israelitas, nos arredores de Jerusalém, para surpresa de uma companhia de gás que planeava fazer passar pelo local um gasoduto com 35 quilómetros.



A estrutura, de apenas 750 metros quadrados, apresenta vestígios de casas de pedra, unidas por corredores estreitos, incluindo cada uma vários quartos e um pequeno pátio interior.



Os arqueólogos só escavaram ainda um terço das ruínas, mas já encontraram dezenas de moedas, utensílios de cozinha, ferramentas de moagem e frascos para armazenar óleo e vinho.



"Tendo em conta a quantidade de moedas e utensílios, trata-se de uma grande comunidade na dinastia dos Hasmoneus. Ainda não podemos dizer que foi uma aldeia judaica, estamos apenas no princípio da investigação", explica a arqueóloga Irina Zilberbod, diretora das escavações a cargo da Autoridade de Antiguidades de Israel, citada pelo jorqal "El Mundo".



A aldeia, cujo nome ainda é desconhecido, foi habitada durante o período do Segundo Templo de Jerusalém (538 a.C. a 70 d.C.), e fica perto da estrada Burma, uma rota que abasteceu Jerusalém durante a guerra israelo-árabe de 1948.



Os arqueólogos supõem que os habitantes acabaram por abandonar a cidade à procura de melhores condições de vida na capital, à semelhança de outros habitantes de aldeias vizinhas.



"O abandono de vilas e quintas no fim do período Hasmoneus ou no início do reino de Herodes, o Grande, ocorreu em várias localidades rurais na Judeia", diz ao "The Washington Post" Yuval Baruch, diretor da Autoridade de Antiguidades de Jerusalém.



"Pode estar ligado a extensos projetos de construção de Herodes em Jerusalém, particularmente o Templo de Jerusalém, e o movimento de muitos habitantes das zonas rurais para a capital para arranjarem trabalho", acrescenta.



Como resultado da descoberta, a companhia de gás alterou os planos da construção do gasoduto, desviando-o e permitindo que o sítio fosse preservado. A tubagem foi instalada mais abaixo, sob a aldeia, "para que as pessoas a possam visitar", revelou o porta-voz da companhia de gás.