Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Adolescente turco acusado de insultar o Presidente já foi libertado

Segundo o código penal turco, insultar o Presidente, aqui no foto, é crime

Dado Ruvic/REUTERS

Foi posto em liberdade o jovem turco acusado de ter criticado o Presidente Recep Tayyip Erdogan.

Um adolescente de 16 anos foi acusado nesta quinta-feira de ter insultado o Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan. O rapaz identificado como M.E.A. foi preso preventivamente por ordem do tribunal, mas ainda esta manhã o advogado do acusado apresentou uma queixa que resultou na sua libertação. 

A polícia turca prendeu o estudante na cidade de Konya, um dia depois de ele ter discursado numa comemoração estudantil onde criticava o Presidente e defendia os princípios de Mustafa Kemal Ataturk, o fundador da república turca moderna.

A detenção de M.E.A. suscitou uma revolta nas redes sociais e agitação na impressa turca pela "deriva fascizante" do regime. De acordo com os órgãos de comunicação turcos, o atual primeiro-ministro, Ahmet Davutoglu, defendeu a oposição ao afirmar que "toda a gente tem de respeitar o Presidente, quem quer que ele seja".

O adolescente declarou-se inocente e o seu advogado apresentou uma queixa contra a acusação, o que conduziu à libertação do arguido que aguarda agora julgamento.

Ao sair do tribunal, M.E.A. declarou: "Não vamos dar um passo atrás, vamos continuar por este caminho". O estudante arrisca-se a uma pena de quatro anos de prisão, se for acusado formalmente por ter difamação. O discurso que conduziu à sua detenção foi transmitido pela Agência Notícias Dogan.

De acordo com a estação televisiva CNN-Turquia, o rapaz já se encontra na companhia dos pais, que o aguardavam junto ao tribunal.

Tayyip Erdogan, foi eleito Presidente em agosto de 2014 depois de onze anos enquanto primeiro-ministro. Esta não foi a primeira vez em que o Erdogan se viu envolvido em denúncias judiciais contra alegados ofensores.