Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Adeus litas, olá euro

No dia 1 de Janeiro a Lituânia adere ao euro. O país abandona o litas, a divisa que o acompanhou desde que declarou independência da já desparecida URSS em março de 1990. Tudo indica que os preços vão subir para 3,5 milhões de lituanos, já que 1 euro vale 3,44 litas.

No dia 11 de março de 1990, a Lituânia foi a primeira república da URSS [União das Repúblicas Socialistas Soviéticas] a declarar-se independente do poder de Moscovo. Quinze anos depois, a 1 de janeiro de 2015, o país faz a sua entrada oficial na moeda única, tornando-se o 19.º Estado-membro da zona euro.

Esta adesão tem um caráter marcadamente político, numa altura em que crescem as tensões entre a Europa e a Rússia, por causa do conflito na Ucrânia. A Letónia, outra antiga república báltica da URSS [independente desde 1991], e que já faz parte da zona euro, assume a partir desta quinta-feira a presidência rotativa da União Europeia.

Uma sondagem do banco central da Lituânia, citada pela agência Lusa, diz que 53% dos lituanos apoiam a mudança de moeda e 39% são contra. Os receios dos que estão contra prendem-se com os prováveis aumentos de preços, e as dificuldades com que se confrontam vários países da zona euro.

A Lituânia, que tem o litas indexado ao euro desde 2002, esperava aderir à moeda europeia em 2007, mas isso não aconteceu porque não conseguiu cumprir os critérios exigidos no que toca à inflação.

A Estónia foi a primeira das três antigas repúblicas bálticas da União Soviética que aderiu ao euro, em 2011. A Letónia aderiu em 2014, juntando-se à Eslováquia (2009), Chipre e Malta (2008), Eslovénia (2007), Grécia (2001), Alemanha, Áustria, Bélgica, Espanha, Finlândia, França, Irlanda, Itália, Luxemburgo, Holanda e Portugal (1999).

Até junho do próximo ano, os preços dos produtos estarão marcados em litas e euros.