Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Trump nega ter dado conselhos a May sobre o Brexit. “Fiz apenas uma sugestão”

STEFAN ROUSSEAU/GETTY IMAGES

Em conferência de imprensa após uma reunião com Theresa May, Donald Trump elogiou a primeira-ministra britânica, “essa mulher incrível que está a fazer um trabalho fantástico”, e garantiu que os EUA estão muito empenhados em fazer um “grande acordo bilateral com o Reino Unido”

“Fake news”. Eis a forma como Donald Trump se referiu à sua própria entrevista ao jornal britânico “The Sun”, publicada na quinta-feira, ao qual terá dito que o acordo comercial com o Reino Unido está em risco e que Theresa May, a primeira-ministra britânica, não lhe deu ouvidos no que diz respeito ao Brexit.

Em conferência de imprensa esta sexta-feira, depois de uma reunião com a ministra britânica, Trump elogiou Theresa May, que descreveu como “uma mulher incrível que está a fazer um trabalho fantástico”, e negou ter-lhe dados conselhos sobre a saída do Reino Unido da União Europeia. “Fiz-lhe apenas uma sugestão”. Também pediu “desculpa” por uma entrevista que, nas suas palavras, pecou por não incluir todas as “coisas positivas” que disse sobre May.

Trump garantiu ainda que os EUA estão empenhados em fazer um “grande acordo bilateral com o Reino Unido” e que o Brexit é uma “oportunidade incrível” para os dois países, que deve ser “aproveitada em pleno”. “Tudo o que fizerem está bem para mim. Essa é vossa decisão. Certifique-se apenas que podemos negociar juntos”, afirmou Trump, dirigindo-se à ministra britânica.

O Presidente norte-americano desafiou ainda Theresa May a negociar um acordo que permita ter “um comércio justo” com os EUA e disse que a relação entre os dois países atingiu o seu “mais alto nível” e “é indispensável para a liberdade, justiça e paz”. Theresa May, por sua vez, limitou-se a referir que foram discutidos planos para um acordo comercial “ambicioso” e disse a Trump para não se preocupar com a entrevista publicada no jornal britânico. “É apenas a imprensa”.

Numa entrevista publicada na quinta-feira no “The Sun”, Trump é citado como tendo dito que os britânicos “provavelmente não vão conseguir” um acordo comercial com o seu país caso o atual plano para o Brexit se mantenha. Esse plano “mataria o acordo” porque “significaria que os Estados Unidos estariam a lidar com a União Europeia” em vez de diretamente com o Reino Unido, terá dito Donald Trump, acrescentando que, no lugar de May, “teria feito tudo de forma muito diferente”. “Eu até lhe disse como fazer, mas ela não me deu ouviu. Em vez disso, tomou o caminho oposto e os resultados foram bastante dececionantes”, disse.

Outro dos temas abordados por Trump durante a conferência de imprensa foi o da migração, que descreveu como “má e triste” para a Europa por “alterar a sua cultura” e contribuir para o aumento das ameaças terroristas. Neste aspecto, a primeira-ministra britânica distanciou-se do Presidente norte-americano e lembrou que o Reino unido tem um “orgulhoso historial” de acolhimento de migrantes que contribuem para a economia do país.

O Presidente dos EUA chegou ao Reino Unido na quinta-feira à tarde e foi homenageado pela primeira-ministra com um jantar no Palácio de Blenheim, onde participaram empresários e personalidades de vários setores. Esta sexta-feira de manhã assistiu a exercícios militares por forças conjuntas dos dois países. A visita termina com uma visita de Donald Trump e da mulher Melania ao palácio de Windsor, onde se vai encontrar com a rainha Isabel II. Trump foi recebido com protestos em várias partes do país, sobretudo em Londres, onde milhares de pessoas desfilam nas ruas, juntamente com balão gigante de seis metros.