Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Presidente sul-coreano exorta EUA e Coreia do Norte a adotarem pacto para fim do nuclear

Chung Sung-Jun/Getty Images

“Se o Presidente Kim Jong-un mantiver a promessa, será capaz de conduzir o seu país à prosperidade”, diz Moon Jae-in. Se Trump e Kim “não honrarem a promessa que eles mesmos fizeram, serão sujeitos a um julgamento sério”, acrescenta. Na quinta-feira, Trump elogiou os “grandes progressos” nas negociações depois de divulgar uma carta de Kim, onde este pedia ações concretas do Presidente dos EUA para reforçar a confiança mútua

O Presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, exortou esta sexta-feira os EUA e a Coreia do Norte a adotarem um pacto para acabar com o programa nuclear de Pyongyang. Durante uma vista em Singapura, onde os líderes norte-americano e norte-coreano se encontraram há um mês numa cimeira histórica, Moon disse que “se o Presidente Kim Jong-un mantiver a promessa de desnuclearização, ele será capaz de conduzir o seu país à prosperidade”.

“Este caminho nunca é fácil mas se os acordos da cimeira forem implementados com sinceridade, o objetivo pode ser alcançado”, acrescentou. E concluiu, afirmando que “se os líderes não honrarem a promessa que eles mesmos fizeram, com a comunidade internacional a assistir, serão sujeitos a um julgamento sério”.

Ambos os lados procuram ações concretas do outro

Desde a cimeira histórica entre Donald Trump e Kim Jong-un, que se seguiu a uma outra entre os líderes das Coreias em abril, Pyongyang ainda não mostrou sinais claros de uma ação concreta com vista ao desmantelamento do seu programa nuclear. Pelo contrário, vão-se acumulando relatos de que várias instalações de um complexo nuclear norte-coreano estão a operar normalmente.

Uma avaliação dos serviços secretos americanos concluiu mesmo que o regime de Kim estaria a tentar “enganar” os EUA. No final de junho, o grupo de vigilância 38 North garantiu que a Coreia do Norte continuava a atualizar o seu único reator nuclear conhecido, apesar das negociações em curso com os Estados Unidos e a Coreia do Sul, que têm como ponto fundamental a promessa de desnuclearização.

Esta quinta-feira, Trump elogiou os “grandes progressos” nas negociações depois de divulgar uma carta de Kim. Na missiva, o líder da Coreia do Norte afirmava que os esforços conjuntos poderiam inaugurar um “novo futuro” para os dois países, mas também pedia ações concretas do Presidente dos EUA para reforçar a confiança mútua.

  • Coreias vão assinar um tratado de paz

    Declaração conjunta de Kim Jong-un e Moon Jae-in sublinha o início de “uma nova era de paz” entre os dois países e o compromisso rumo à “completa desnuclearização da península coreana”

  • E, no entanto, a Coreia do Norte continua os trabalhos no seu reator nuclear

    A denúncia é do grupo de monitorização 38 North, que se apoia em imagens de satélite recolhidas na semana passada. As melhorias infraestruturais no complexo nuclear de Yongbyon “continuam a um ritmo acelerado”, garante o grupo. O líder norte-coreano comprometeu-se a fazer uma “desnuclearização completa” em encontros com os Presidentes dos EUA e da Coreia do Sul