Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Balão gigante de bebé Trump flutua em frente ao Parlamento britânico

Richard Baker

A visita do chefe de Estado norte-americano, Donald Trump, e da mulher, Melania Trump, ao Reino Unido está a ser marcada por numerosos protestos, especialmente em Londres, uma cidade que o casal está a tentar evitar para contornar a rejeição popular

Um balão gigante com a forma de um "bebé Trump" foi colocado a flutuar esta sexta-feira em frente ao Parlamento britânico, em Londres, em protesto contra a primeira visita oficial do Presidente dos Estados Unidos ao Reino Unido.

A visita do chefe de Estado norte-americano, Donald Trump, e da mulher, Melania Trump, ao Reino Unido está a ser marcada por numerosos protestos, especialmente em Londres, uma cidade que o casal está a tentar evitar para contornar a rejeição popular.

O insuflável, que tem a forma de um bebé de fralda a fazer uma birra e a segurar um telemóvel, foi colocado por um grupo de manifestantes e espera-se que flutue na praça do Parlamento durante as próximas duas horas.

Os organizadores do protesto dizem que planeiam realizar manifestações em cerca de 50 cidades no Reino Unido.

"Esperamos que, onde quer que Donald Trump vá, ouça e veja a força de uma opinião britânica, que o rejeita não apenas como pessoa, por mais desagradável que ele seja como pessoa, mas pelas políticas que representa", disse Asad Rehman, um dos organizadores dos protestos contra Trump no Reino Unido.

“Isto foi apenas um monte de amigos que se reuniram num ‘pub’", disse Kevin Smith, um dos manifestantes por trás do balão gigante.

“É isso que as pessoas precisam fazer, unirem-se nas suas comunidades para se organizarem e descobrirem como se posicionar contra o populismo e a xenofobia de direita que estamos a ver, não apenas nos Estados Unidos, mas na Europa”, referiu ainda Smith.

Nas proximidades da avenida Whitehall, onde se encontra a sede do Governo britânico e vários ministérios, também estava a passear esta sexta-feira um robô, como o da popular série de televisão britânica Doctor Who, com uma peruca loura, para o deleite dos turistas.

O autarca de Londres, o trabalhista Sadiq Khan, defendeu a sua decisão de autorizar o "bebé Trump", que foi criticada por conservadores, dizendo que não é o seu papel "exercer a censura" ou determinar se um protesto é de "bom ou mau gosto".

“As pessoas no Reino Unido, como as dos Estados Unidos, rejeitariam a ideia de deixarmos de lado os nossos direitos, privilégios e liberdades porque poderíamos ofender um Presidente" norte-americano, disse Khan sobre se é rude receber assim um dignitário estrangeiro.

Às 11h00 horas (em Londres e em Lisboa), espera-se a realização da “Marcha das Mulheres para Parar Trump”, na rua Oxford, e às 14:00 horas (em Londres e Lisboa) um protesto semelhante, “Pare Trump”, que terá o mesmo trajeto e terminará com discursos às 19h00 horas, na praça de Trafalgar.

Também vai haver protestos na cidade de Aylesbury, perto da residência de campo oficial de Chequers, local onde Trump se reúne esta sexta-feira com a primeira-ministra britânica, Theresa May.

Ainda vai decorrer protestos na cidade inglesa de Manchester e em Glasgow, na Escócia, onde Trump e a esposa irão passar o fim de semana numa visita privada.