Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Migrações. EUA não cumprem prazo legal para entregar crianças separadas

Até à hora limite do prazo (05h00 hora de Lisboa), apenas 34 crianças com menos de 5 anos tinham sido entregues aos respetivos pais

A administração norte-americana não cumpriu o prazo definido pelos tribunais para entregar 102 crianças com menos de 5 anos aos pais, dos quais foram separadas após entrarem ilegalmente nos Estados Unidos, foi divulgado nesta quarta-feira pelos 'media' norte-americanos.

Em finais do mês passado, o juiz federal de San Diego (Califórnia) Dana Sabraw ordenou à administração liderada pelo Presidente Donald Trump que reunisse as cerca de 100 crianças com menos de 5 anos até à meia-noite de terça-feira (hora local). As restantes crianças, num total que oscila entre as 2.000 e as 3.000, têm de ser reunidas com os pais até 26 de julho.

Até à hora limite do prazo (05h00 hora de Lisboa), apenas 34 crianças com menos de 5 anos tinham sido entregues aos respetivos pais, segundo o canal de notícias norte-americano CNN. A par destas 34 crianças, o canal indicou que outros quatro menores já tinham entregues antes do prazo limite.

A CNN, que cita fontes do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos (HHS), responsável pela tutela dos menores que atualmente estão em centros de detenção, noticiou que as autoridades não entregaram os restantes menores por causa da impossibilidade de verificar o grau de parentesco em tempo útil.

A administração Trump foi alvo de fortes críticas, internas e externas, por causa da separação de crianças menores indocumentadas dos respetivos pais, igualmente indocumentados, na fronteira entre os Estados Unidos e o México no âmbito da política migratória de "tolerância zero".

As separações começaram em meados de abril e ocorreram até junho, tendo sido suspensas após as fortes críticas. A política desencadeou uma vaga de protestos em todo o país.