Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Tailândia. Quatro rapazes e treinador ainda presos na gruta devem ser resgatados esta terça-feira

Familiares das crianças retidas na gruta acenam à passagem de uma das ambulâncias

Lauren DeCicca/Getty Images

Chuvas fortes estavam a marcar o reinício das operações de resgate, previsto para as duas da madrugada em Lisboa, para salvar quatro crianças e o treinador ainda aprisionados. Precipitação deverá ter atrasado o arranque das operações, mas pouco depois das seis da manhã de Lisboa o “The Guardian” escrevia que o terceiro dia de trabalhos já estava em marcha. Responsável pelas operações de salvamento prometeu que esta terça-feira seriam retirados os restantes cinco elementos

As chuvas fortes estavam a marcar o reinício das operações de resgate, previsto para as oito horas locais (duas da madrugada em Lisboa), para salvar quatro crianças e o treinador ainda aprisionados numa gruta no norte da Tailândia. A precipitação deverá ter atrasado o arranque das operações, mas pouco depois das seis da manhã em Lisboa o jornal inglês "The Guardian" escrevia que o terceiro dia de trabalhos já estava em marcha. O responsável pelas operações de salvamento prometeu que esta terça-feira seriam retirados os restantes cinco de um total de 12 jovens e o seu treinador.

De acordo com as autoridades de saúde do país, os primeiros oito rapazes resgatados estão em boas condições de saúde física e mental. Foram submetidos a testes de sangue e a raios X e dois deles estão a ser tratados a possíveis inflamações pulmonares. Todos eles deverão permanecer no hospital sob observação durante pelo menos sete dias.

No início, os rapazes foram alimentados com géis instantâneos de comida e energia, mas já estão a comer alimentos fáceis de digerir. Depois de mais de duas semanas num estado de escuridão total, as crianças estão agora a usar óculos escuros. Pais e filhos já puderam ver-se, mas apenas através de um vidro, revelaram ainda as autoridades tailandesas.

O grupo, constituído por 12 rapazes de uma equipa de futebol e respetivo treinador, ficou preso num complexo de cavernas a 23 de junho quando chuvas fortes provocaram uma inundação. Passaram nove dias sem qualquer comunicação com o exterior até serem encontrados no início da semana passada. As primeiras quatro crianças foram resgatadas no domingo, outras quatro esta segunda-feira.