Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Visita de Trump ao Reino Unido mantém-se apesar da demissão de ministros

Alex Wong/Getty

Presidente norte-americano é aguardado no território britânico ao início da tarde de quinta-feira, depois de ter participado na cimeira da NATO em Bruxelas

A deslocação do Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, esta semana ao Reino Unido mantém-se, apesar da recente renúncia de dois ministros do governo britânico liderado por Theresa May, indicou nesta segunda-feira a Casa Branca.

"O Presidente continua ansioso para reencontrar-se com a primeira-ministra (Theresa May) no dia 13 de julho [sexta-feira] e para reforçar ainda mais a relação especial entre os Estados Unidos e o Reino Unido", declarou a porta-voz da administração norte-americana, Sarah Huckabee Sanders, no mesmo dia em que o ministro dos Negócios Estrangeiros britânico, Boris Johnson, anunciou a sua demissão.

A renúncia de Boris Johnson foi divulgada um dia depois do ministro para o 'Brexit' (como é conhecido o processo da saída britânica da União Europeia), David Davis, ter apresentado a demissão. De acordo com o programa divulgado, Trump é aguardado no território britânico ao início da tarde de quinta-feira, depois de ter participado na cimeira da NATO em Bruxelas. Nesse mesmo dia, o chefe de Estado norte-americano vai participar num jantar de gala oferecido pela primeira-ministra, Theresa May, a 100 quilómetros de Londres.

As discussões a nível bilateral terão lugar na sexta-feira, já perto da hora do almoço, em Chequers Court, a residência de campo da primeira-ministra, a 70 quilómetros de Londres, a que se seguirá uma conferência de imprensa.

A deslocação do Presidente Trump ao Reino Unido tem sido alvo de forte contestação, estando já anunciadas várias ações de protesto, incluindo manifestações, para os diferentes locais que o chefe de Estado norte-americano vai visitar, incluindo a cidade de Londres. Apesar de a maior parte da visita ser feita em locais fora da capital britânica, é espectável que Trump não consiga evitar ser confrontado por protestos.