Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Tailândia: dois rapazes podem já ter sido resgatados

YE AUNG THU/GETTY

Informações contraditórias na Tailândia indicam que as operações de resgate ao grupo de crianças presas há duas semanas no interior de uma gruta podem já ter tido como resultado o salvamento de dois rapazes. Os media no local estão nesta altura a receber várias indicações por parte das autoridades envolvidas nas buscas

Dois dos rapazes que há duas semanas se encontravam encurralados na gruta de Tham Luang, na Tailândia, podem já ter saído, segundo informações ainda não oficialmente confirmadas, divulgadas pela BBC e a agência Reuters. Estas informações têm como fonte autoridades locais.

Imagens divulgadas no Twitter por um repórter da BBC mostram uma segunda ambulância a sair do local.

Desde a madrugada de domingo que está em curso a operação de salvamento dos 12 rapazes e o seu treinador de futebol. Dezoito mergulhadores, treze estrangeiros e cinco membros da Marinha tailandesa, estão envolvidos no resgate.

"É uma guerra contra a água", declarou Narongsak Osottanakorn, o chefe da equipa de socorro e governador da província de Chiang Rai, a norte do país.

Tudo indica que a forma escolhida para extrair os 13 retidos seja dividi-los em quatro contingentes, com quatro jovens no primeiro e três nos restantes, sendo que o treinador irá no último grupo.

Imagem da união de forças entre as equipas de resgate partilhada no Facebook da Marinha tailandesa

Um mergulhador voluntário israelita, Rafael Aroush, disse à CNN que, neste caso, "a velocidade é muito, muito importante", notando que a subida do nível da água pode "destruir toda a operação". Com efeito, a decisão de avançar com o resgate este domingo prende-se com o facto de as autoridades considerarem os próximos quatro dias como mais favoráveis para avançar, antes das fortes do agravamento significativo das condições meteorológicas.

"Os rapazes estão prontos para enfrentar todos os desafios", declarou Narongsak Osottanakorn. Cada grupo terá de percorrer várias horas - cerca de seis - dentro da gruta, guiados por uma corda instalada pelas equipas de salvamento, sendo que os primeiros 1,7 km se afiguram os mais complicados, pois incluem passagens estreitas, escuras e lamacentas, além de correntes fortes.

O objetivo é chegar a uma câmara intermédia dentro da gruta onde está instalado o centro de comandos. Este domingo, o nível da água dentro desta câmara era "baixo o suficiente para se poder caminhar por ele", disse Osottanakorn. "Hoje é o Dia D", concluiu, notando que os rapazes estão prontos e "determinados" em sair. Mal chegarem ao exterior, vão ser conduzidos para o hospital de Chiang Rai - 13 ambulâncias os aguardam, assim como helicópteros que serão utilizados em caso de emergência.

As dificuldades da operação acentuam-se pelo facto de alguns dos rapazes não saberem nadar e muitos nunca terem usado equipamento de mergulho. Por outro lado, o oxigênio dentro da caverna é um factor que continua a ser fonte de preocupações, uma vez que tem estado a diminuir. No sábado, o nível de oxigênio situava-se nos 15% e era por isso inferior aos 21% considerados mínimos para o cérebro não sofrer danos.

De acordo com o jornal "Bangkok Post", o primeiro-ministro tailandês viaja amanhã para a região de forma a acompanhar as operações.

(Em desenvolvimento)