Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Desnuclearização da Coreia do Norte pode estar por um fio

O secretário de Estado Mike Pompeo fala à imprensa após quase dois dias de conversações com Kim Yong Chol, ex-chefe da secreta e alto quadro do partido, antes de embarcar no seu avião no aeroporto internacional de Sunan, Pyongyang.

Andrew Marck/ Reuters

Pyongyang e Mike Pompeo fazem declarações contraditórias sobre a desnuclearização da Coreia do Norte. Aqueles dizem que o acordado bem pode não ser cumprido enquanto o secretário de Estado norte-americano elogia o progresso das ações nesse sentido

Cristina Peres

Cristina Peres

Jornalista de Internacional

As autoridades norte-coreanos declararam neste sábado que a sua decisão de desistir do seu programa nuclear pode vacilar após as conversações com os Estados Unidos em Pyongyang.

Estas declarações contradizem as do secretário de Estado norte-americano, que tem elogiado os progressos alcançados em quase todas as áreas em questão, escreve a agência Reuters.

Mike Pompeo levou a cabo um dia e meio de conversações em Pyongyang com o objetivo de acertar os pormenores de como vão ser desmantelados os programas nucleares da Coreia do Norte, nomeadamente, um calendário e um plano relativo às instalações nucleares.

Segundo a BBC, a Coreia do Norte declarou que a atitude dos Estados Unidos é "lamentável" e "muito perturbadora". A agência oficial KCNA publicou uma declaração das autoridades norte-coreanas em que se lê que os EUA tinham ido contra o espírito da cimeira ao pressionarem unilateralmente o país a abandonar o seu armamento nuclear.

A declaração feita por uma autoridade dos Negócios Estrangeiros não identificada contraria a versão dada horas antes por Pompeo, que sublinhou os progressos em curso.

Mike Pompeo visitava a Coreia do Norte pela primeira vez desde a cimeira Trump-Kim Jong-un em Singapura.