Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Mais uma trincheira aberta na disputa comercial China-EUA. Taxas sobre produtos chineses já entraram em vigor

Feng Li/Getty Images

As taxa alfandegárias serão impostas sobre 34 mil milhões de dólares em importações chinesas. Muitos empresários e produtores americanos estão preocupados, alguns vão interromper planos de contratação e os mercados estão nervosos. A retaliação da China não se fez esperar

Entrou esta madrugada em vigor a aplicação pelos EUA de taxas alfandegárias sobre 34 mil milhões de dólares (cerca de 29 mil milhões de euros) em importações chinesas. A medida cava mais uma trincheira na disputa comercial entre os Estados Unidos e a China.

Os produtores de metal americanos, as empresas de energia e os fabricantes de automóveis já se mostraram preocupados com a medida, que arrancou às 05h01 desta sexta-feira em Lisboa, um minuto depois do meio-dia em Pequim. Algumas empresas preparam-se para interromper a contratação, adiando despesas e cortando custos. Os mercados têm estado nervosos com a perspetiva de uma guerra comercial entre os EUA e outros países.

De acordo com a agência oficial de notícias Xinhua, a retaliação, também de 25%, sobre produtos americanos, já está a ser aplicada. O Presidente norte-americano, Donald Trump, ameaçou intensificar o conflito comercial com taxas sobre 450 mil milhões de dólares (cerca de 385 mil milhões de euros) em bens chineses se a China retaliasse.

“A China não se curvará” perante o “fogo” dos EUA

Na quinta-feira, o porta-voz do Ministério chinês do Comércio, Gao Feng, deixou claro que “a China não se curvará perante as ameaças e chantagem e não hesitará na sua determinação de defender o livre comércio e o sistema multilateral”.

A tutela advertiu ainda que as taxas norte-americanas propostas atingiriam cadeias internacionais de fornecimento, incluindo empresas estrangeiras. “As medidas dos EUA estão essencialmente a atacar a oferta global e as cadeias de valor. Simplificando, os Estados Unidos estão a abrir fogo sobre todo o mundo, incluindo sobre si mesmos”, disse.