Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Kim Jong-un vai finalmente poder ouvir “Rocket Man” de Elton John

EPA

O secretário de Estado norte-americano desloca-se pela terceira vez à Coreia do Norte, levando um CD com a música e uma mensagem escrita e assinada por Trump. A viagem de Mike Pompeo destina-se a solidificar os acordos de desnuclearização e acontece menos de um mês depois da cimeira Kim-Trump. Sucedem-se os relatos de que várias instalações de um complexo nuclear do país estão a operar normalmente

O Presidente dos EUA, Donald Trump, vai oferecer um CD com a música “Rocket Man” de Elton John ao líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un. O presente, que segue com uma mensagem escrita e assinada por Trump, vai ser entregue pelo secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo.

Esta sexta-feira, Pompeo viajou para Pyongyang pela terceira vez numa tentativa de solidificar os acordos de desnuclearização, uma deslocação que acontece menos de um mês depois do encontro entre Trump e Kim em Singapura.

A inspiração para o presente terá resultado de uma conversa entre os dois líderes durante a cimeira do mês passado. Segundo uma fonte diplomática citada pelo site “Business Insider”, “Trump perguntou a Kim se este conhecia a música e Kim disse que não”.

No ano passado, em plena tensão entre Washington e Pyongyang, o Presidente dos EUA referiu-se várias vezes a Kim como “little rocket man” (“pequeno homem foguete”) nos seus discursos e mensagens de Twitter.

Pyongyang estará a tentar “enganar” os EUA

A deslocação de Pompeo à Coreia do Norte acontece quando se acumulam os relatos de que várias instalações de um complexo nuclear do país estão a operar normalmente. Uma avaliação dos serviços secretos americanos concluiu mesmo que o regime de Kim estará a tentar “enganar” os EUA.

No final de junho, o grupo de vigilância 38 North garantiu que a Coreia do Norte continuava a atualizar o seu único reator nuclear conhecido, apesar das negociações em curso com os Estados Unidos e a Coreia do Sul, que têm como ponto fundamental a promessa de desnuclearização.

As melhorias infraestruturais no complexo nuclear de Yongbyon “continuam a um ritmo acelerado”, garantia o grupo cujo nome é uma referência ao paralelo 38, que definiu a fronteira entre o norte e o sul coreano antes da Guerra das Coreias, no início dos anos 1950. O sistema de refrigeração do reator de produção de plutónio foi modificado e pelo menos dois novos edifícios não-industriais foram construídos, avançava ainda o mesmo grupo, com base em imagens de satélite.

Kim Jong-un comprometeu-se a fazer uma “desnuclearização completa” em encontros com os Presidentes dos EUA, Donald Trump, e da Coreia do Sul, Moon Jae-in. No entanto, não ficaram definidos os prazos nem o modo como isso iria acontecer.

  • Kim e Moon são-um

    Os líderes das Coreias do Norte e do Sul prometeram que os seus países nunca mais lutariam noutra guerra. Kim Jong-un e Moon Jae-in assinaram uma declaração conjunta de compromisso para a completa desnuclearização da península coreana, sempre de sorriso aberto e, por vezes, até de mãos dadas, caminhando lado a lado. Mesmo com o ceticismo de muitos analistas quanto à seriedade do compromisso assumido pela Coreia do Norte, não restam dúvidas de que esta sexta-feira foi um dia histórico

  • E, no entanto, a Coreia do Norte continua os trabalhos no seu reator nuclear

    A denúncia é do grupo de monitorização 38 North, que se apoia em imagens de satélite recolhidas na semana passada. As melhorias infraestruturais no complexo nuclear de Yongbyon “continuam a um ritmo acelerado”, garante o grupo. O líder norte-coreano comprometeu-se a fazer uma “desnuclearização completa” em encontros com os Presidentes dos EUA e da Coreia do Sul