Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Caçadores furtivos mortos por leões em reserva na África do Sul

Wolfgang Kaehler/Getty Images

Caçadores terão entrado armados com uma espingarda e um machado na reserva de Sibuya, no sudeste de África do Sul, e foram encontrados desmembrados no dia seguinte

Pelo menos três caçadores furtivos morreram depois de terem sido atacados por um grupo de leões numa reserva de caça privada no sudeste de África do Sul, informou o proprietário da reserva.

À agência France Press, o proprietário, Nick Fox, explicou que os caçadores entraram armados com uma espingarda e um machado na reserva de Sibuya para caçar rinocerontes na manhã de segunda-feira e foram encontrados desmembrados no dia seguinte.

“Deram por si no meio de um grupo de leões e não tiveram tempo para reagir. Não sabemos exatamente quantos caçadores eram, mas há indícios de que estariam ali três homens. Encontrámos três pares de sapatos e três pares de luvas”, explicou o mesmo proprietário à “Newsweek”.

Pelo menos 1.000 rinocerontes são abatidos todos os anos em África devido aos seus chifres, muito populares entre os adeptos da medicina tradicional na China e no Vietname, de acordo com a organização não-governamental “Save the Rhino”. Restam apenas cinco mil rinocerontes negros no continente africano, cerca de 1.900 dos quais na África do Sul. Há ainda cerca de 20.000 rinocerontes brancos no país, o que representa 80% da população mundial.