Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Mísseis e barris de explosivos não dão tréguas em Deraa. Em duas semanas de ofensiva já morreram 19 crianças

ALAA AL-FAQIR/REUTERS

Uma “intensidade inédita” nos bombardeamentos das forças de Damasco foi registada esta quinta-feira com o lançamento de “centenas” de mísseis e de barris de explosivos pela aviação da Síria e da Rússia, segundo o Observatório Sírio para os Direitos Humanos

As forças de Damasco, apoiadas pelos aliados militares russos, bombardearam de forma "intensa" os setores onde se encontram opositores na província de Deraa, na Síria, onde ocorre uma ofensiva governamental.

Segundo o Observatório Sírio para os Direitos Humanos, a "intensidade inédita" dos bombardeamentos verificou-se esta quinta-feira com o lançamento de "centenas" de mísseis e de barris de explosivos pela aviação da Síria e da Rússia.

O alvo foi a zona onde se encontram os opositores ao regime de Damasco na região de Deraa.

Na quarta-feira, as conversações entre representantes russos e o dirigente da oposição em Deraa chegaram a "um impasse" segundo disse à organização não-governamental com sede em Londres, Jaled al Hebus, que lidera o movimento contra Damasco na zona.

Dados das Nações Unidas estimam entre 270.000 e 330.000 os sírios que fugiram da zona desde que a 19 de junho se iniciou a ofensiva do regime para expulsar os rebeldes, que controlam cerca de um terço da província de Deraa.

Segundo o Observatório Sírio dos Direitos Humanos, a ofensiva já causou a morte a mais de 130 civis, incluindo 19 crianças.

A ONU tem apelado a um cessar-fogo em Deraa, província onde em março de 2011 começou a contestação ao regime de Bashar Al-Assad, cuja repressão deu início à guerra civil que já causou mais de 350.000 mortos e milhões de deslocados.