Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

EUA fazem testes de ADN a crianças separadas dos pais na fronteira

RODRIGO ARANGUA/AFP/Getty Images

Informação foi avançada por um funcionário federal, que se escusou, contudo, a revelar até quando as autoridades tencionam continuar a realizar estes testes e se obtiveram autorização para o fazer. Também não esclareceu se os resultados dos testes estão a ser armazenados em base de dados, algo que preocupa as organização não-governamentais

Helena Bento

Helena Bento

Jornalista

As autoridades norte-americanas estão a fazer testes de ADN às crianças que foram separadas dos pais na fronteira dos Estados Unidos com o México, avançou a CNN, que cita um funcionário federal não identificado.

Mas qual é a justificação para este procedimento? O mesmo funcionário explicou: “A proteção e a segurança são de extrema importância e os casos de tráfico e contrabando de crianças não são assim tão raros. Estamos a fazer isto para agilizar os processos de verificação de paternidade e garantir a reunificação familiar”. Questionado sobre até quando tencionam as autoridades continuar a realizar estes testes e se obtiveram autorização para o fazer, o funcionário manteve-se em silêncio. Também não esclareceu se os resultados dos testes estão a ser armenzados em base de dados.

A prática já mereceu várias críticas. Jennifer K. Falcon, diretor de comunicação da Raices, uma organização sem fins lucrativos sediada no Texas, que apoia refugiados e migrantes, considerou a medida “deplorável”, uma vez que permitirá ao governo “controlar e vigiar estas crianças para o resto das suas vidas”. Jennifer K. Falcon disse ainda não ter conhecimento de nenhuma situação em que tenham sido realizados testes de ADN para reunificação familiar.

Alguns dos advogados que representam famílias migrantes contaram ainda à CNN que os seus clientes foram abordados por indivíduos vestidos à militar que se identificaram como funcionários na área da saúde e que lhes pediram para fazer testes de sangue e saliva. Outro advogado disse à cadeia televisiva norte-americana que as autoridades estão a questionar os pais sobre os seus filhos, perguntando-lhes onde é que estes nasceram e se têm algum tipo de marca distintiva.

A administração de Donald Trump tem estado sob grande escrutínio dada a sua política de “tolerância zero” em relação à migração. Continua sem se saber o que irá acontecer às famílias que foram separadas na fronteira entre o México e os EUA e quantas destas já estão reunidas novamente.