Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Primeiro-ministro australiano pede a resignação do arcebispo Philip Wilson

Stefan Postles / Getty Images

Malcom Turnbull disse ter ficado surpreendido pelo facto de Wilson não ter resignado. O arcebispo de Adelaide foi condenado na terça-feira a 12 meses de prisão

O primeiro-ministro australiano, Malcom Turnbull, pediu ao arcebispo da cidade de Adelaide que resigne ao cargo na sequência da condenação por encobrimento de atos de pedofilia que atingem a igreja católica na Austrália.

Philip Wilson, arcebispo de Adelaide, foi condenado na terça-feira a 12 meses de prisão por ter encoberto das autoridades australianas atos de abuso de menores cometidos por um sacerdote da igreja católica a norte de Sidney nos anos 1970.

O primeiro-ministro Malcom Turnbull disse esta quarta-feira que ficou surpreendido pelo facto de Wilson não ter resignado.

A arquidiocese de Adelaide ainda não se pronunciou sobre as declarações do chefe do Governo de Camberra assim como ainda não se sabe se Wilson pretende recorrer da sentença.