Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Weinstein enfrenta possibilidade de perpétua após mais duas queixas de “agressão sexual predatória”

Al Seib / Getty Images

Procurador norte-americano avança com novos processos e elogia a “extraordinária coragem” de quem denunciou aquele que é um dos mais importantes produtores de Hollywood

Harvey Weinstein, ex-produtor de cinema de 66 anos que enfrenta um furacão de acusações de assédio e abuso sexual por parte de mais de 70 de mulheres, está preso por suspeitas de que tenha violado duas mulheres. Mas esta segunda-feira surgiu uma nova acusação. Apesar de ter sempre negado os crimes que lhe são imputados, que variam em graus de gravidade, esta segunda-feira o procurador do distrito de Manhattan, Cyrus Vance, apresentou uma nova queixa sobre Weinstein: a de crime sexual em primeiro grau, por ter alegadamente encontrado provas de um outro ato de relação sexual forçada, cometido em 2006.

Além desta acusação, o mesmo procurador deu entrada com mais duas queixas de "agressão sexual predatória", crime para o qual a sentença mínima é de dez anos e a máxima é de prisão perpétua.

Cyrus Vance disse que Weinstein está acusado "de alguns dos crimes mais sérios previstos no Código Penal do estado de Nova Iorque" e que este processo resulta "da extraordinária coragem demonstrada pelos sobreviventes, que decidiram denunciá-lo".