Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Trump insiste em deportar "imediatamente" imigrantes que entrem ilegalmente no país

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, insistiu hoje na deportação "imediata" dos imigrantes que entrem ilegalmente no país e sem a possibilidade de comparecerem previamente perante um juiz para expor a sua situação.

Enquanto milhares de pessoas protestavam em 750 cidades contra a política migratória, Trump insistiu na sua posição e reiterou a polémica proposta que apresentou na semana passada para impedir aos indocumentados o direito de expor perante um juiz de imigração o seu pedido de asilo.

"Quando pessoas entram ilegalmente no nosso país, devemos imediatamente reenviá-los para fora sem passar por anos de processos legais. As nossas leis são as mais tontas de todo o mundo", escreveu Trump no Twitter.

O Presidente norte-americano emitiu este comentário quando muitos dos protestos públicos nas principais cidades do país já tinham terminado, mas não fez comentários sobre as manifestações a favor da reunião das famílias de imigrantes separadas desde abril, e o fim da criminalização dos indocumentados.

Vestidos de branco, agitando cartazes e unidos pelo lema "Families Belong Together" (As Famílias devem estar juntas), norte-americanos de todas as raças e idades protagonizaram em 750 cidades do país uma enérgica resposta à política migratória de Trump, que suscitou fortes reações de reprovação internas e internacionais.

Washington, a capital federal acolheu a manifestação mais importante, com mais de 30.000 pessoas, segundo os organizadores, concentradas frente à Casa Branca mas longe de Trump, que passa o fim de semana no seu clube privado de New Jersey.

A aplicação da proposta de Trump sobre as deportações imediatas implicaria a alteração das leis em vigor nos Estados Unidos, onde os imigrantes detidos devido ao seu estatuto legal têm direito a comparecer perante um juiz que decide se devem ser expulsos ou se podem permanecer no país pelo facto de terem direito a um pedido de asilo.

Em 2004, o governo de George W. Bush estabeleceu que podem ser deportados de forma quase imediata os imigrantes que tenham chegado ilegalmente aos Estados Unidos nos últimos 14 dias e que, no momento da detenção, se encontrem a 160 quilómetros da fronteira.

Com Lusa