Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Primeira baixa no Governo espanhol. Ministro da Cultura apresentou a demissão

Paul Hanna/Reuters

O jornalista tomou a decisão depois de ter sido tornado público que foi obrigado a pagar à Autoridade Tributária espanhola um total de 364.939 euros por ter utilizado uma empresa para pagar menos impostos entre 2006 e 2008

O recém-nomeado ministro da Cultura e Desporto espanhol, Màxim Huerta, demitiu-se esta quarta-feira e anunciou em conferência de imprensa depois de se ter reunido com o Presidente do Governo, Pedro Sánchez no Palácio da Moncloa.

O jornalista tomou a decisão depois de ter sido tornado público que foi obrigado a pagar à Autoridade Tributária espanhola um total de 364.939 euros por ter utilizado uma empresa para pagar menos impostos entre 2006 e 2008.

Huerta comunicou a sua decisão a Sánchez depois de PP (Partido Popular) e Podemos terem exigido a sua demissão ou destituição.

Já se sabia desde o início da manhã que Huerta poderia demitir-se na sequência do caso de fraude fiscal em que esteve envolvido, declarou ao jornal “El País”.

Huerta recorria a uma sociedade, a Almaximo Profesionals de la Imagen SL, que lhe permitia menor tributação de um rendimento que auferia na cadeia de televisão Telecinco, onde participava no Programa de Ana Rosa. Assim evitava a tributação no regime geral, com tabela mais gravosa.

A Agência Tributária detetou a fraude e foi ratificada pela Justiça em maio do ano passado.

Huerta sai mas assegura que tudo se deveu “a uma alteração nos critérios das Finanças”. “Não existiu má fé, não ocultei nada. Estou ciente das minhas obrigações fiscais”, acrescentou.