Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

EUA/Coreia do Norte: Rússia considera positiva cimeira de Singapura

JOHAN ORDONEZ/GETTY IMAGES

Apesar de ainda não ter lido o documento final do encontro entre Trump e Kim Jong-u o vice-ministro dos Negócios Estrangeiros, Serguei Riabkov, considera que “o simples facto” do encontro ter ocorrido “é positivo”

A Rússia considerou esta terça-feira "positiva" a histórica cimeira realizada em Singapura entre o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e o líder norte-coreano, Kim Jong-un, para conseguir a desnuclearização da península coreana.

"Vimos a televisão, seguimos os comentários que as duas partes fizeram. Não vimos os documentos, creio que ainda não foram publicados. Mas o simples facto do encontro se ter realizado é positivo", declarou o ministro dos Negócios Estrangeiros russo, Serguei Lavrov, citado pela agência Ria Novosti.

O vice-ministro dos Negócios Estrangeiros, Serguei Riabkov, pronunciou-se no mesmo sentido em declarações à agência Tass, indicando que o acontecimento é "bem-vindo" dado tratar-se de "um passo importante". Riabkov assinalou, no entanto, que "o diabo está nos detalhes", defendendo ser "necessário entender o mais específico".

Adiantou que Moscovo está disposto a apoiar do ponto de vista político e prático um acordo para a resolução da crise nuclear e para desbloquear a cooperação com Pyongyang.

O Presidente dos Estados Unidos disse esta terça-feira numa conferência de imprensa, no final da cimeira com o líder norte-coreano em Singapura, estar preparado para iniciar uma nova etapa nas relações com a Coreia do Norte e que o país asiático se comprometeu com a desnuclearização completa do seu arsenal.

O Ministério dos Negócios Estrangeiros russo divulgou ainda um comunicado, em que avalia "positivamente" o anúncio de Donald Trump no final da cimeira do fim das manobras militares conjuntas dos Estados Unidos com a Coreia do Sul.

"O fim da ações provocadoras é uma medida essencial a favor da baixa do nível de tensão na península, criando uma atmosfera de confiança", considera.