Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Presidente italiano nomeia ex-chefe do FMI para governo de gestão

Pier Marco Tacca/Getty

O Presidente de Itália, Sergio Mattarella, pediu esta segunda-feira ao ex-diretor do FMI, Carlo Cottarelli, para formar um governo de gestão mas haverá eleições antecipadas. Um novo governo deve ser escolhido até ao início de 2019

Carlo Cottarelli é o homem escolhido pelo Presidente italiano, Sergio Mattarella, para formar governo em Itália depois de a Liga e o Movimento 5 Estrelas terem desistido de formar um Executivo de coligação na sequência do veto do Presidente à escolha do ministro da Economia.

“O Presidente pediu-me que apresentasse no Parlamento um programa que conduza o país a novas eleições. No caso de ser aprovado, esse programa deve incluir a aprovação das leis do orçamento e deverá prever a realização de eleições legislativas em 2019”, disse Carlo Cottarelli depois de se reunir com Sergio Mattarella esta segunda-feira.

“Em caso de ausência de confiança [do Parlamento], o Governo demitir-se-á imediatamente e terá como função supervisionar a realização de eleições para depois do mês de agosto”, acrescentou o ex-diretor do Fundo Monetário Internacional.

Mattarella justificou o chumbo do eurocético Paolo Savona para ministro da Economia dizendo que a incerteza sobre a posição política de Itália "tem alarmado investidores tanto em Itália como no exterior" e a "pertença ao euro é uma escolha fundamental". Para o Presidente, se Itália quer disctuir a sua posição dentro da zona euro "tem que fazê-lo de forma séria".

A "nega" de Mattarella já desencadeou pedidos para que seja afastado do cargo. Os dois partidos anti-sistema, que passaram semanas a elaborar um pacto de coligação para acabar com o impasse saído das eleições de 4 de março, acusaram o Presidente de abusar das suas funções.

A decisão de nomear um novo primeiro-ministro acontece depois de, este domingo, os esforços para a formação de um governo em Itália terem sofrido um recuo, com Giuseppe Conte, o homem indicado pelos partidos anti-sistema Liga e Movimento 5 Estrelas (M5S) para primeiro-ministro, a desistir de formar governo.

Não se espera que Cottarelli consiga o apoio do governo e por isso os italianos devem ser chamados a votar em outubro deste ano.

  • Alemanha deseja um Governo italiano estável e pró-europeu em breve

    O desejo foi expresso pelo ministro alemão dos Assuntos Europeus. Este domingo, a Liga e o Movimento 5 Estrelas desistiram de formar um Executivo de coligação na sequência do veto do Presidente Sergio Mattarella à escolha do ministro da Economia. Espera-se que esta segunda-feira Mattarella peça ao ex-diretor de assuntos fiscais do Fundo Monetário Internacional, Carlo Cottarelli, que chefie um Governo provisório

  • Crise em Itália. Presidente deverá chamar ex-diretor do FMI para chefiar Governo provisório

    Sergio Mattarella chumbou a escolha do ministro da Economia para o Governo de coligação entre a Liga e o 5 Estrelas, que pedem eleições antecipadas e a destituição do chefe de Estado, respetivamente. O Presidente chamou Carlo Cottarelli, antigo responsável do Fundo Monetário Internacional, para uma reunião esta segunda-feira, o que indicia que irá pedir-lhe para liderar um Governo provisório. O cenário de novas eleições ganha força

  • Itália: Não há governo. Haverá eleições? Já se fala em “impeachment”

    O presidente da República, Sergio Mattarella, não conseguiu formar Governo. Savona, proposto para ministro das Finanças foi recusado. “Era demasiado eurocéptico”. Itália pode ter de voltar a eleições, 12 semanas depois e 84 dias depois da última consulta democrática. A decisão, diz Mattarella será tomada nas próximas horas. Líder do Movimento Cinco Estrelas já fala em “impeachment” de Mattarella, adianta o jornal “Corriere della Sera”. Está aberta a crise institucional