Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Trump “abandonará” conversações com Coreia do Norte se estas não forem proveitosas

Primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, e Presidente dos EUA, Donald Trump

MANDEL NGAN

A garantia foi dada pelo Presidente dos EUA numa conferência de imprensa conjunta com o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, na Florida. Os líderes concordaram em iniciar conversações sobre “acordos comerciais livres, justos e recíprocos” e em trabalhar juntos para trazer de volta os japoneses e norte-americanos sequestrados na Coreia do Norte

O Presidente dos EUA, Donald Trump, avisou esta quarta-feira que “abandonará” as conversações com o líder norte-coreano, Kim Jong-um, se estas não estiverem a ser proveitosas. Numa conferência de imprensa conjunta com o primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, na Florida, Trump e o seu convidado defenderam que deve ser mantida pressão máxima sobre Pyongyang quanto ao desarmamento nuclear.

Antes, Trump já tinha confirmado que o diretor da CIA, Mike Pompeo, tinha feito uma viagem secreta à Coreia do Norte para se encontrar com Kim. Pompeo conseguiu estabelecer uma “boa relação” com o líder norte-coreano e a reunião, que marca o contacto de mais alto nível entre os dois países desde 2000, correu “muito bem”, assegurou o Presidente dos EUA.

A cimeira entre os líderes norte-americano e norte-coreano deverá acontecer até junho, mas detalhes do encontro, incluindo o local, continuam ainda por definir.

“Como já disse antes, há um caminho brilhante disponível para a Coreia do Norte quando o país alcançar a desnuclearização de uma forma completa, verificável e irreversível. Seria um grande dia para eles, seria um grande dia para o mundo”, reafirmou Trump.

No comércio, os líderes norte-americano e japonês concordaram em iniciar conversações sobre “acordos comerciais livres, justos e recíprocos”. Trump afirmou que os EUA continuam a ser contrários à adesão à Parceria Transpacífico (TPP, na sigla em inglês), a menos que o Japão e outros países que integram o pacto comercial lhe ofereçam um acordo que não possa recusar. O Presidente americano não isentou, no entanto, o Japão de tarifas punitivas de aço e alumínio, como fez com outros aliados americanos.

Shinzo Abe pediu ajuda a Trump na libertação de cidadãos japoneses sequestrados pela Coreia do Norte nos anos 70 e 80. O país já admitiu ter raptado 13 japoneses para os usar para treinar os seus espiões na alfândega japonesa. O Japão acredita que o número é muito maior.

Três cidadãos norte-americanos também estão detidos na Coreia do Norte. Trump garantiu que os EUA “trabalharão muito” para tentar levar os japoneses raptados de volta para casa, acrescentando que também estão a “lutar muito diligentemente para recuperar os três cidadãos americanos”.