Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Trump é “moralmente incapaz de ser Presidente”, diz ex-diretor do FBI

The Washington Post

Na primeira grande entrevista televisiva desde que foi demitido, James Comey afirmou que o Presidente dos EUA mente constantemente e pode já ter obstruído a justiça. Esta terça-feira é publicado “A Higher Loyalty”, um livro demolidor da sua autoria. Trump defende-se, contra-atacando: além de “bufo” e “mentiroso”, Comey devia ser preso, sugere o residente na Casa Branca

O ex-diretor do FBI, James Comey, disse este domingo que Donald Trump é um homem “moralmente incapaz de ser Presidente”. Na primeira grande entrevista televisiva desde que foi demitido pelo Presidente dos EUA no ano passado, Comey acrescentou à ABC News que Trump mente constantemente e pode já ter obstruído a justiça.

“Eu não compro essa história de ele ser mentalmente incompetente ou [de apresentar] estágios iniciais de demência. Eu não acho que ele seja medicamente incapaz de ser Presidente. Acho que ele é moralmente incapaz de ser Presidente”, afirmou Comey.

O antigo responsável do FBI foi ainda mais longe, traçando o perfil daquilo que deve ser um líder dos EUA para acrescentar, em seguida, que Trump não se adequa ao cargo. “O nosso Presidente deve incorporar respeito e aderir aos valores que estão no centro deste país. O mais importante é a verdade. Este Presidente não é capaz de fazer isso”, disse, acrescentando que Trump trata as mulheres como “pedaços de carne”.

Depois de a entrevista ser transmitida, o Partido Republicano divulgou um comunicado afirmando que a digressão publicitária de James Comey ao seu novo livro – “A Higher Loyalty - Truth, Lies and Leadership” (Uma Lealdade Superior - Verdade, Mentiras e Liderança), que sai esta terça-feira – mostra que “a sua verdadeira lealdade superior é consigo próprio”. “A única coisa pior do que a história de má conduta de Comey é a sua vontade de dizer qualquer coisa para vender livros”, refere ainda o comunicado.

No livro de 304 páginas, James Comey compara Trump a um chefe da máfia, “desligado da realidade”, e a sua presidência a um “incêndio florestal”. “O nosso país está a pagar um preço alto [pelas eleições de 2016]. Este Presidente é antiético e está desligado da verdade e dos valores institucionais. A sua liderança é transacional, egocêntrica e sobre lealdade pessoal”, escreve no epílogo.

Em reação ao livro, Trump retribuiu, no Twitter, o longo e adjetivado retrato com insultos: “James Comey é comprovadamente um bufo e um mentiroso. Toda a gente em Washington achava que ele devia ser despedido pelo trabalho terrível que estava a fazer até ser, de facto, despedido. Ele deixou fugir informação secreta e por isso devia ser levado à justiça. Mentiu ao Congresso sob juramento. Ele é um fraco e um desleal, uma bola de lodo e foi, como o tempo provou, um terrível diretor do FBI”.

Além de “mal revisto”, o livro levanta “grandes questões”, continua Trump, sugerindo que Comey devia ser preso.

  • Trump é como um chefe da máfia, “desligado da realidade”, diz ex-diretor do FBI

    No livro “A Higher Loyalty”, James Comey descreve a presidência de Donald Trump como um “incêndio florestal”. “O chefe no controlo total. Os juramentos de lealdade. A mundivisão de nós-contra-eles. A mentira sobre todas as coisas, grandes e pequenas, ao serviço de um qualquer código de lealdade que coloca a organização acima da moralidade e da verdade” são outros dos mimos que se podem ler. O Partido Republicano já criou um site de apoio ao Presidente e de ataque a Comey