Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Secretário-geral da NATO apoia o ataque

FRANCOIS LENOIR/REUTERS

Jens Stoltenberg considera que a ofensiva conjunto dos EUA, Reino Unido e França "reduzirá a capacidade do regime" sírio de atacar a população com armas químicas.

O secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg, apoiou este sábado o ataque conjunto dos EUA, Reino Unido e França a instalações militares na Síria, considerando que a ofensiva "reduzirá a capacidade do regime" de Asad de voltar a atacar a população com armas químicas.

"A NATO condenou sistematicamente o uso continuado por parte da Síria de armas químicas como uma clara violação das normas e acordos internacionais", afirma o secretário-geral numa declaração publicada na página da Internet da NATO.

A organização considera que a utilização deste tipo de armas é uma ameaça à paz e segurança internacionais e que "é essencial proteger a Convenção sobre Armas Químicas", o que exige "uma resposta coletiva por parte da comunidade internacional".

EUA, França e Reino Unido lançaram na madrugada deste sábado um ataque contra as "capacidades de armamento químico" do governo sírio de Bashar Al Asad, em resposta a um alegado ataque químico realizado na semana passada na cidade de Douma e atribuído pelas potências ocidentais ao Governo sírio.

Segundo o Pentágono, a ação combinou ataques aéreos e mísseis projetados desde navios no Mediterrâneo contra instalações sírias utilizadas para produzir e armazenar armas químicas.