Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Presidente do Parlamento Europeu teme escalada do conflito na Síria

reuters

Antonio Tajani afirmou que a ofensiva lançada esta madrugada pelos Estados Unidos, Reino Unido e França será discutida segunda-feira no Parlamento Europeu

O presidente do Parlamento Europeu, Antonio Tajani, defendeu este sábado que é ser preciso "evitar uma escalada do conflito na Síria" depois dos ataques desta madrugada realizados conjuntamente pelos Estados Unidos, Reino Unido e França.

"O uso de armas químicas é inaceitável, mas é preciso evitar uma escalada militar na Síria", afirmou Tajani, adiantando que a operação desta madrugada será discutida segunda-feira no Parlamento Europeu.

O responsável disse esperar que sejam dados "passos para uma solução pacífica que inclua a União Europeia e as Nações Unidas", mas admitiu temer que a situação "possa degenerar", uma vez que existem "demasiados interesses extra sírios e atores que não aparecem, mas estão presentes [no conflito]".

Antonio Tajani mostrou-se "muito preocupado" pela população civil, ainda que os ataques desta madrugada não tenham provocado mortos nem feridos civis, e referiu que "o perigo é o que se pode passar a seguir".

"O futuro da Europa passa também pela política internacional e esta inclui a Síria", referiu.

Os EUA, a França e o Reino Unido realizaram na madrugada deste sábado uma série de ataques com mísseis contra alvos associados à produção de armamento químico na Síria, em resposta a um alegado ataque com armas químicas na cidade de Douma, realizado na semana passada e atribuído pelas potências ocidentais ao Governo de Bashar al-Assad.

Segundo o Pentágono, a ofensiva consistiu em três ataques, com uma centena de mísseis, contra instalações utilizadas para produzir e armazenar armas químicas.