Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Número dois do Podemos na Galiza demite-se por causa de currículo falso

Ao contrário do que constava no seu currículo oficial, Juan José Merlo não é licenciado em engenharia

Em Espanha, um novo caso de um falso currículo académico levou à demissão do número dois do partido Podemos na Galiza. Juan José Merlo, deputado do grupo En Marea no Parlamento da região, reconheceu que não possui a licenciatura como engenheiro industrial, embora esta seja a formação que consta no seu currículo oficial.

Segundo Juan Melro, esse foi o curso que frequentou, mas nunca completou a formação.
No site do Parlamento da Galiza, o deputado aparece apresentado como engenheiro.

“Licenciou-se como engenheiro industrial e desenvolveu a sua atividade laboral, primero numa conhecida cadeia de grandes armazéns e depois na gestão de uma empresa de engenharia e energias renováveis”, podia ler-se.

Questionado pelo “ABC”, que denunciou o caso, o deputado confirmou que apenas deveria constar no currículo a informação de que frequentou o curso, acrescentando que “se constar a informação errada, vamos corrigi-la, claro, porque engenheiro não sou”.

Juan Melro acabou por se demitir, esta sexta-feira, admitindo o “erro. Disse ainda sentir-se envergonhado, mas frisou que nunca teve a intenção de mentir para melhorar a sua ficha académica, nem motivado por nenhum desejo de ostentar títulos”.

O caso vem a público pouco tempo depois de o mestrado da líder do governo regional de Madrid, Cristina Cifuentes, ter estado envolto em polémica, alegadamente por ter sido obtido com notas falsificadas.

  • O mestrado polémico da líder do governo regional de Madrid

    A exclusiva de um diário digital caiu como bomba no panorama político espanhol. Cristina Cifuentes terá obtido o título de mestre com notas falsificadas, entre elas a da tese. Oposição reclama a sua demissão mas a política do Partido Popular desmente tudo