Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Facebook: Violação de dados na agenda da sessão plenária do Parlamento Europeu

STEPHEN LAM/REUTERS

O Parlamento Europeu (PE) inicia na segunda-feira uma sessão plenária marcada pelo debate, na quarta, sobre proteção de dados pessoais, na sequência do escândalo sobre a utilização de dados da rede Facebook pela consultora Cambridge Analytica

O Parlamento Europeu (PE) inicia na segunda-feira uma sessão plenária marcada pelo debate, na quarta, sobre proteção de dados pessoais, na sequência do escândalo sobre a utilização de dados da rede Facebook pela consultora Cambridge Analytica.
Os eurodeputados vão debater com o Conselho da UE e a Comissão Europeia as medidas de proteção dos dados pessoais dos cidadãos europeus.
O PE quer debater as medidas a tomar face a estas revelações e reiterar o pedido aos responsáveis do Facebook para que compareçam perante a assembleia europeia para clarificar a situação.
Na véspera, o Presidente francês, Emmanuel Macron, irá apresentar no Parlamento Europeu a sua visão sobre o futuro da UE, sendo o quarto líder europeu a fazê-lo e um mês após uma intervenção semelhante do primeiro-ministro português, António Costa.
Também na quarta-feira, os eurodeputados debaterão com o Conselho e a Comissão as medidas a tomar para combater a resistência à vacinação e a propagação de informações enganosas, estando agendada para o dia seguinte a votação de uma resolução que apela à organização de novas campanhas de informação sobre a questão.
O PE debate também na quarta-feira, com voto agendado para o dia seguinte, um relatório do eurodeputado Paulo Rangel (PSD) sobre a aplicação das disposições do Tratado de Lisboa relativas aos parlamentos nacionais e que propõe, nomeadamente, a criação de uma "Semana Europeia".
Durante esta semana, comissários e eurodeputados compareceriam perante as assembleias parlamentares dos 27 para discutir assuntos europeus.
A agenda da sessão inclui ainda, na terça-feira, a votação do novo protocolo ao acordo de pesca entre a UE e a República da Maurícia, que prevê possibilidades de pesca para 40 atuneiros cercadores e 45 palangreiros de superfície de Espanha, França, Itália e Portugal.