Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Cantora paquistanesa grávida morta a tiro durante espetáculo

Samina Sindhu foi assassinada no Pasquistão enquanto atuava numas festas locais. O marido pede que o homicida, entretanto detido, seja condenado por dois crimes: o da cantora e do filho que trazia dentro de si

Samina Sindhu, cantora paquistanesa, foi atingida a tiro enquanto atuava nas festas da localidade de Kanga, na província de Sindh. Devido ao seu estado de gravidez avançada, Samina atuou sentada. O jornal paquistanês "Dawn" diz que o atirador estava alcoolizado e que disparou depois de Samina ter recusado levantar-se.

O marido da vítima, Ashiq Sammoo, citado pela BBC, diz que um homem apontou a arma à sua mulher e "pediu ameaçadoramente para ela se levantar e cantar". O mesmo jornal refere que o agressor, à saída do tribunal, disse aos jornalistas ter sido um acidente enquanto disparava para o ar.

Mas esta história tem várias versões, embora um vídeo que circula nas redes sociais exponha o incidente. As imagems mostram mostram a cantora a ser rodeada por três homens e a levantar-se enquanto eles lhe atiram dinheiro em notas. Pouco depois de se levantar, ouvem-se três disparos e Samina cai no chão, tendo tido morte imediata. O assassino não foi filmado.

O caso ocorreu na passada terça-feira já mitivou várias manifestações no país, exigindo-se a prisão dos dois acompanhantes do atirador, que permanece detido.