Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Bebé nasce na China mais de quatro anos após morte dos pais

Avós de Tiantian venceram longa batalha judicial pela custódia dos embriões congelados deixados pelo casal sinistrado. Em janeiro do ano passado, com a ajuda de uma agência clandestina, foram ao Laos para encontrarem uma mãe. A maternidade de substituição é proibida na China

O filho de um casal chinês que morreu há mais de quatro anos nasceu de uma barriga de aluguer. A informação foi avançada pela imprensa chinesa, que refere que Shen Jie e Liu Xi estavam casados ​​há dois anos quando decidiram tentar a fertilização in vitro.

Cinco dias antes da data prevista para o transplante de um dos embriões fertilizados em Liu, o casal morreu num acidente de carro em março de 2013, na província chinesa de Jiangsu.

Nos três anos seguintes, os pais de Shen e Liu lutaram pelo direito a ficarem com os quatro embriões congelados, num caso legal sem precedentes na China. Depois de várias batalhas judiciais, os futuros avós maternos e paternos conseguiram a custódia dos embriões e, em janeiro de 2017, com a ajuda de uma agência clandestina, foram ao Laos para encontrarem uma mãe. A maternidade de substituição é proibida na China.

Em dezembro do ano passado, o bebé de Shen e Liu nasceu num hospital em Guangzhou. A mãe de Liu deu-lhe o nome de Tiantian.

Após o nascimento, ainda houve complicações legais. Os avós tiveram de realizar testes de DNA para provar a sua relação com o recém-nascido e manter a custódia.