Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Theresa May convoca reunião de emergência do Governo britânico

A primeira-ministra decidiu convocar os ministros para “discutir a resposta aos eventos na Síria”

A primeira-ministra britânica, Theresa May, convocou os seus ministros para uma reunião de emergência na quinta-feira, para discutir a resposta do Reino Unido ao alegado uso de armas químicas na Síria, indicou esta quarta-feira o seu gabinete.

Um porta-voz de Theresa May indicou que a primeira-ministra decidiu convocar os seus ministros para "discutir a resposta aos eventos na Síria", onde alegadamente o regime do Presidente Bashar Al-Assad foi responsável por um ataque com armas químicas na cidade rebelde de Douma.

O Presidente norte-americano, Donald Trump, avisou que mísseis serão lançados, numa ação em que deve contar com o apoio do Reino Unido e da França.

"A Rússia prometeu destruir todos e quaisquer mísseis disparados contra a Síria. Prepara-te Rússia, porque eles vão começar a chegar, bons, novos e inteligentes!", escreveu Trump na rede social Twitter, depois de o embaixador russo no Líbano, Alexander Zasipkin, ter dito que quaisquer mísseis lançados por Washington contra a Síria serão abatidos pelas forças de Moscovo e que as plataformas de lançamento passarão a ser um alvo.

A Síria nega qualquer utilização de armas químicas, assim como a Rússia, principal aliado do regime sírio, que afirmou que eventuais ataques ocidentais teriam "graves consequências".

Moscovo já advertiu contra qualquer ação na Síria que possa "desestabilizar a situação já frágil na região".

Organizações apoiadas pelos Estados Unidos denunciaram que pelo menos 42 pessoas, entre as quais várias crianças, morreram em Douma, o último bastião rebelde em Ghouta oriental, nos arredores de Damasco, com sintomas associados a um ataque com armas químicas.