Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Conselheiro de Segurança Interna de Trump não se demitiu, foi demitido

Drew Angerer

Tom Bossert foi afastado com a entrada de John Bolton como Conselheiro de Segurança Nacional, avança a CBS News. Presidente Trump agradece-lhe “o seu serviço patriótico” e “o compromisso com a segurança”

O Conselheiro de Segurança Interna do Presidente norte-americano Donald Trump, Tom Bossert, abandonou esta terça-feira a Casa Branca. No entanto, segundo avança a CBS News, Bossert não se demitiu, foi demitido.

O currículo de Bossert sobrepunha-se ao do antigo Conselheiro de Segurança Nacional, H.R. McMaster, o que fazia com que ambos estivessem sempre em competição. A chegada de John Bolton, na segunda-feira, para substituir McMaster precipitou o afastamento de Bossert.

De acordo com a cadeia de televisão e rádio, não ficou claro se a saída de Bossert foi pedida por Bolton ou se resultou simplesmente de uma reestruturação. Nenhum sucessor foi ainda nomeado.

Em comunicado, a Casa Branca fez saber que “o Presidente está agradecido pelo compromisso de Tom com a segurança do nosso grande país”. “O Tom liderou os esforços para proteger a pátria das ameaças terroristas, fortalecer as nossas defesas cibernéticas e responder a uma série sem precedentes de desastres naturais. O Presidente Trump agradece o seu serviço patriótico”, continua o comunicado.

Ainda no domingo, Tom Bossert foi ao canal de televisão ABC discutir a possibilidade de ataques americanos contra a Síria em resposta ao alegado ataque químico do dia anterior: “os EUA não tirariam nada de cima da mesa”.

A saída de Bossert não agradou a todos. O republicano Jamil N. Jaffer, conselheiro sénior do Comité de Relações Exteriores do Senado e conselheiro associado do antigo Presidente George W. Bush, classificou o afastamento como “outro erro não forçado”.