Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Se o Brexit minar a paz na Irlanda do Norte, a mão da História será “implacável”, avisa Hillary Clinton

JOSHUA ROBERTS

Ex-secretária de Estado norte-americana escreve primeiro artigo de jornal desde que perdeu as eleições de 2016 para Donald Trump. Esta terça-feira, assinalam-se 20 anos sobre a assinatura do Acordo da Sexta-Feira Santa, em Belfast

A mão da História será "pesada e implacável” se o Brexit minar a paz na Irlanda do Norte. O aviso foi deixado por Hillary Clinton no primeiro artigo de jornal que escreveu desde a derrota nas eleições americanas em 2016.

É necessário encontrar uma solução pós-Brexit que evite novos controlos de fronteiras quando o Reino Unido abandonar a União Europeia, defende a ex-secretária de Estado norte-americana no artigo publicado no jornal inglês “The Guardian”. Caso contrário, corre-se o risco de se violarem os termos de um acordo de paz irlandês mais amplo que foi conseguido com o considerável apoio dos EUA.

“Não podemos deixar que o Brexit mine a paz que as pessoas votaram, por que lutaram e até por que morreram”, escreve Clinton no texto intitulado “Don’t let Brexit undermine Ireland’s peace”. “Restabelecer a fronteira seria um enorme retrocesso, um regresso aos ‘maus velhos tempos’ em que as comunidades seriam novamente separadas”, acrescenta.

Clinton adaptou também uma famosa citação do ex-primeiro-ministro britânico Tony Blair por ocasião do Acordo da Sexta-Feira Santa, cuja assinatura celebra esta terça-feira 20 anos, escrevendo: “Se os interesses de curto prazo prevalecem sobre a solução dos desafios de longo prazo que ainda existem na Irlanda do Norte, fica claro que a mão da História será pesada e implacável”.

“Estes são tempos difíceis para a Irlanda do Norte e para o nosso mundo. Enquanto prossegue o debate sobre o Brexit, continuo a acreditar no valor da União Europeia e de uma Europa que é íntegra, livre e em paz”, conclui Hillary Clinton.

Os negociadores do Reino Unido e da União Europeia concordaram em suspender temporariamente a questão antes do acordo de transição do mês passado. No entanto, é urgente encontrar uma solução antes da próxima cimeira europeia em junho.

O Acordo da Sexta-feira Santa foi assinado em Belfast a 10 de abril de 1998 pelos governos britânico e irlandês. O acordo tinha por finalidade acabar com os conflitos entre nacionalistas e unionistas, constituindo um grande passo político no processo de paz da Irlanda do Norte nos anos 1990.

  • Bruxelas prepara-se para divulgar primeira versão do Tratado do Brexit

    Michel Barnier diz que acordo legalmente vinculativo não trará surpresas, por se limitar a esclarecer os compromissos políticos que têm sido alcançados entre a UE e o Reino Unido desde o início das negociações de saída. Contudo, antevêem-se conflitos entre os dois partidos da coligação de governo no Reino Unido, com os Unionistas da Irlanda do Norte a repetirem os avisos de que não vão aceitar o regresso a uma "fronteira dura" com a Irlanda no pós-Brexit