Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Macron destaca amizade com Portugal ao discursar no centenário da Batalha de La Lys

MIGUEL FIGUEIREDO LOPES

“A amizade entre Portugal e França é uma amizade profunda e solidária, cimentada por milhares de portugueses e franceses de origem portuguesa, cimentada pelo sangue vertido pelos que aqui vieram defender a nossa liberdade”, afirmou o Presidente francês

O Presidente francês Emmanuel Macron destacou esta manhã, no Cemitério Militar Português de Richebourg, "a amizade entre Portugal e França" numa intervenção na cerimónia evocativa do centenário da Batalha de La Lys.

Emmanuel Macron discursou depois do Presidente português e recordou que a Batalha de La Lys, em 9 de abril de 1918 - na qual os portugueses foram destroçados pelas tropas alemãs - é simbolicamente equivalente "à batalha de Verdun" para os franceses.

"A amizade entre Portugal e França é uma amizade profunda e solidária, cimentada por milhares de portugueses e franceses de origem portuguesa, cimentada pelo sangue vertido pelos que aqui vieram defender a nossa liberdade", afirmou o Presidente francês, depois de lembrar que "é a memória de todos os soldados portugueses" que esta segunda-feira se recorda.

Emmanuel Macron lembrou que no Cemitério Militar Português de Richebourg "estão perto de 2000 soldados portugueses" que lutaram numa "guerra absurda e tão dolorosamente fratricida" e caracterizou o cemitério como "um símbolo de amizade e solidariedade europeia e não de rancor nacionalista".

O chefe de Estado francês manifestou o desejo de que "nunca mais os povos e nações da Europa tenham de se defrontar", num "momento em que a Europa duvida de si" própria.

Emmanuel Macron recordou também que "a Europa viveu um pesadelo", num "passado comum", mas que "o futuro deve ser partilhado", algo que é um dever para "a história, os mortos e a juventude".

Esta segunda-feira, as comemorações do centenário da batalha de La Lys incluem também a inauguração da exposição "Racines", sobre descendentes de soldados portugueses, em Richebourg, uma cerimónia militar junto ao Monumento aos Mortos, em La Couture, o descerrar de placas em Arras e Lille e visitas a exposições nessas cidades.

No domingo, Marcelo Rebelo de Sousa e António Costa estiveram em Paris para descerrar uma placa, na Avenue des Portugais, em "homenagem aos combatentes da Grande Guerra" e participaram numa cerimónia militar de homenagem ao Soldado Desconhecido no Arco do Triunfo, perante largas dezenas de portugueses.