Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Lula ficará preso num antigo dormitório com 15 metros quadrados

O advogado Cristiano Zanin Martins com Lula da Silva

MIGUEL SCHINCARIOL/ Getty Images

O local será vigiado 24 horas por dia e antigo Presidente do Brasil seguirá regras semelhantes às dos restantes detidos, ainda que fique isolado dos demais. Lula não terá contacto visual com outros detidos da operação Lava Jato na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba

O ex-Presidente do Brasil, Lula da Silva, irá seguir regras semelhantes às dos outros presos na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, no estado do Paraná, ainda que fique isolado dos demais. No quarto andar do edifício, não terá contacto com o antigo ministro Antonio Palocci, que integrou governos de Lula e de Dilma Rousseff, nem com o sócio da construtora OAS, Léo Pinheiro, também condenado no caso do tríplex.

As visitas e as duas horas de sol por dia também não serão realizadas em conjunto com os restantes detidos. No caso de Lula se apresentar para ser detido até às 17h locais desta sexta-feira, como determinou o juiz Sergio Moro, é possível agendar uma visita antes da próxima quarta-feira. No despacho, Moro afirmou que, “em razão da dignidade do cargo ocupado”, foi preparada uma sala reservada, “espécie de Sala de Estado Maior”.

O local será vigiado 24 horas por dia em sucessivos turnos de agentes da Polícia Federal para garantir a segurança do antigo chefe de Estado. A sala tem 15 metros quadrados, com casa de banho privada, e foi adaptada para o receber. Antes, servia de dormitório para os profissionais da Polícia Federal de outras regiões que estavam de passagem por Curitiba. As camas-beliche foram retiradas para dar lugar a uma cama e a uma mesa.

O espaço de três por cinco metros fica distante do local onde estão presos outros réus da operação Lava Jato. “Ele não vai ter nem contacto visual com eles”, afirmou à BBC Brasil uma fonte da Polícia Federal que não se quis identificar.