Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Lula já falou. Prisão é “um absurdo” e um “sonho de consumo” do juiz Moro

Lula da Silva durante encontro de membros do PT em janeiro

REUTERS/Leonardo Benassatto

O jornalista Kennedy Alencar entrevistou Lula enquanto este seguia no seu carro em direção à sede do sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo do Campo. Nesses breves minutos, o ex-Presidente do Brasil disse que a sua prisão era um "sonho de consumo" do juiz Sergio Moro e de gente que quer vê-lo “nem que seja um dia” na prisão

O jornalista e comentador político da rádio CBN, Kennedy Alencar, conseguiu entrevistar Lula da Silva poucas horas depois de se saber que o juiz Sergio Moro lhe decretou pena de prisão e que é de lá que deverá aguardar o desenrolar dos últimos recursos legais de que ainda lhe restam. Os seus apoiantes e mesmo o seu advogado já vieram utilizar expressões como "arbitrária" e um "desrespeito pela Constituição" para classificar o mandado de prisão e desta vez foi a vez do próprio Lula dizer que considera a decisão "absurda" e um "sonho de consumo" de Moro e de todos os que o querem ver preso "um dia só".

Relatando a entrevista a Lula na rádio, Alencar diz que Lula lhe disse que Moro "não esperou a conclusão do julgamento da 4ª Região" e que "havia um recurso que seria julgado até dia 9". O ex-Presidente terá ainda dito que espera ordens dos seus advogados porque ainda não é certo que se entregue amanhã em Curitiba. Isto porque um salva-conduto de dia 24 de março, dizem os advogados de Lula, diz não poderia ser preso antes da conclusão do julgamento no Tribunal Federal da 4ª Região. Lula classificou ainda a decisão como "absurda" e disse que Moro age "politicamente". "O sonho de consumo desse pessoal e do Moro é me manter pelo menos um dia preso na cadeia. O Moro aposta na radicalização mas eu estou calmo, estou sereno e vou aguardar as decisões dos meus advogados".

Lula não deve discursar na sede do sindicato mas referiu que vai para lá por ter lá muitos amigos e apoiantes.