Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Trump pede a juiz arbitragem privada do caso Stormy Daniels

Stormy Daniels na cerimónia de entrega de prémios Adult Video News Awards 2018, em Las Vegas, Nevada

Gabe Ginsberg/Getty Images

Presidente dos EUA alega que caso da atriz porno, que envolve um acordo de confidencialidade, deve ser ouvido por uma entidade arbitral e não por um júri. Advogado de Daniels afirma que irá opor-se a qualquer arbitragem privada, “escondida do público americano”

Donald Trump pediu a um juiz federal que ordene uma arbitragem privada do caso da atriz porno Stormy Daniels, que afirma ter tido um caso extraconjugal com o Presidente dos EUA. Na segunda-feira, Trump e o seu advogado pessoal, Michael Cohen, entregaram documentos num tribunal, em Los Angeles, alegando que o caso, que envolve um acordo de confidencialidade, deve ser ouvido por uma entidade arbitral e não por um júri.

Daniels diz ter sido ameaçada por um alegado defensor de Trump para não revelar que teve relações sexuais com o então empresário em 2006. Em entrevista ao programa 60 Minutos da CBS News, a atriz revelou que, em 2011, foi abordada por um estranho num parque de estacionamento de Las Vegas, que lhe exigiu que deixasse “Trump em paz” antes de olhar para a sua filha e declarar: “Seria uma pena se acontecesse algo à mãe dela”.

A ameaça teve lugar pouco depois de Daniels ter aceitado vender a sua história a uma revista tabloide que acabaria por não avançar com a publicação por causa de alegadas ameaças de Michael Cohen, advogado de longa data de Trump.

Stephanie Clifford, nome de batismo da atriz, afirmou ter tido relações sexuais com o agora Presidente apenas uma vez num quarto de hotel em Lake Tahoe, na Califórnia, durante um torneio de golfe de celebridades. Esse encontro deu-se em julho de 2006, um ano depois de Trump ter casado com a agora primeira-dama Melania e numa altura em que esta recuperava do parto do filho Baron.

Trump continua a desmentir o caso extraconjugal, apesar de um dos seus advogados ter desembolsado 130 mil dólares para que a atriz, à data com 27 anos, não revelasse o que aconteceu. Daniels tem tentado invalidar o acordo, que assinou dias antes das eleições presidenciais de 2016, disponibilizando-se a devolver o montante recebido para “repor a verdade”.

Neste momento, o Presidente está a exigir à alegada ex-amante 20 milhões de dólares de compensação financeira por ter violado o acordo de confidencialidade. O advogado de Daniels, Michael Avenatti, sublinha que esse acordo não é válido porque Trump nunca chegou a assiná-lo.

No Twitter, Avenatti escreveu que ele e a sua cliente se oporiam à moção para que o caso fosse ouvido "numa arbitragem privada, numa sala de conferências, escondida do público americano”. “Isto é uma democracia e este assunto deve ser decidido num tribunal aberto”, acrescentou.