Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Puigdemont: Estado espanhol está a tornar-se cada vez mais “autoritário”

JOSEP LAGO/GETTY IMAGES

Ex-líder da Catalunha fala pela primeira vez desde que foi detido na Alemanha. Manifestantes em Berlim exigem a sua libertação

O antigo líder da Catalunha, Carles Puigdemont, pediu este domingo aos seus apoiantes que mantenham a luta, de uma forma “não-violenta e civilizada”, contra uma Espanha cada vez mais “autoritária”.

Numa mensagem áudio a partir da prisão, em Neumünster, no norte da Alemanha, Puigdemont acrescentou: “Temos de continuar a defender os nossos direitos, direitos que são reconhecidos pelas Nações Unidas. Temos todo o direito de decidir o nosso futuro. Não podemos baixar a guarda perante um Estado que está a tornar-se mais e mais autoritário e que está a cercear os nossos direitos”.

As primeiras declarações públicas de Puigdemont, desde que foi detido há pouco mais de uma semana, foram gravadas pelo deputado alemão Diether Dehm, do partido de esquerda Due Linke, que o visitou na prisão.

Nas ruas de Berlim, apoiantes da independência da Catalunha exigiram a sua libertação. A justiça alemã tem dois meses para se pronunciar sobre o pedido de extradição para Espanha, que pretende julgar Puigdemont por atos de rebelião.

A viver na Bélgica desde a declaração unilateral de independência, em outubro do ano passado, Puigdemont estava de visita à Finlândia quando o mandado de captura foi reativado, tendo conseguido sair do país antes de ser detido. No entanto, a 25 de março, acabaria por ser preso na Alemanha.

Além de rebelião, pendem sobre Carles Puigdemont acusações de uso indevido de fundos públicos para a realização do referendo à independência no ano passado. No total, o antigo líder catalão arrisca 30 anos de prisão.