Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Zuckerberg vai ao Congresso americano

STEPHEN LAM/REUTERS

Depois da nega ao Parlamento britânico, o CEO do Facebook afirmou esta terça-feira que pessoalmente prestar declarações perante uma comissão de inquérito no Congresso dos Estados Unidos

Horas depois de recusar falar perante o Parlamento britânico, o fundador do Facebook, Mark Zuckerberg mostrou-se disponível para testemunhar perante o Congresso norte-americano. Ainda não foi determinada a data em que o homem-forte da gigante tecnológica se apresentará perante a comissão para a energia e comércio, e um porta-voz daquele organismo recusou-se a confirmar que já teria sido estabelecido o dia 12 de abril.

A possível presença de Zuckerberg no Congresso é muito aguardada, uma vez que os norte-americanos pretendem um esclarecimento público sobre o grau de envolvimento do Facebook no escândalo da venda de publicidade a responsáveis russos na tentativa de influenciar as eleições presidenciais americanas, que veio a público em setembro passado.

Zuckerberg disse sim ao Congresso americano, mas deixou os deputados britânicos muito irritados ao decidir que não estará disponível para falar, e que enviará no seu lugar o responsável de tecnologia da empresa, Mike Schroepfer, e o chefe de produto, Chris Cox, a Londres, depois da semana Santa.

A comissão de investigação britânica convocou no dia 20 o fundador do Facebook para explicar a alegada divulgação indevida de dados de mais de 50 milhões de utilizadores. O porta-voz daquela comissão considerou “absolutamente surpreendente” a decisão do CEO do Facebook em se fazer representar por homens da sua confiança.