Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Ex-ministra regional da Catalunha entrega-se à polícia em Edimburgo

SCOTT HEPPELL/GETTY

A catalã Clara Ponsatí, que deverá ser ouvida ainda hoje por um juiz, está acusada de delitos de rebelião e peculato e pede para não ser extradita para Espanha

A ex-conselheira catalã (ministra regional) Clara Ponsatí entregou-se esta quarta-feira à polícia escocesa em Edimburgo, onde se refugiou para fugir à justiça espanhola que a procura pelo seu envolvimento no processo ilegalizado de independência da Catalunha.

Ponsatí, que é acusada de delitos de rebelião e peculato, era alvo de um mandado de detenção europeu e confirmou que irá apresentar um recurso contra o processo de extradição.

Esta independentista acompanhou o ex-presidente do Governo regional catalão na sua fuga para a Bélgica em outubro de 2017 e tinha-se mudado para Edimburgo no início deste mês para dar aulas na Universidade de St. Andrews.

A académica, que deverá ser ouvida ainda hoje por um juiz, foi um dos 13 separatistas, a par de Carles Puigdemont, e do ex-presidente, Oriol Junqueras, preso desde novembro de 2017, que na passada sexta-feira o Supremo Tribunal espanhol acusou de delito de rebelião pela sua participação no processo de independência da Catalunha.

São acusados de ter organizado o referendo de autodeterminação de 1 de outubro de 2017 apesar de este ter sido proibido por violar a Constituição espanhola.

A 27 de outubro de 2017, Madrid decidiu intervir na Comunidade Autónoma, através da dissolução do parlamento regional, da destituição do executivo regional e da convocação de eleições regionais que se realizaram a 21 de dezembro último.