Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Austrália anuncia expulsão de dois diplomatas russos

Ryan Pierse/GETTY

A medida insere-se na ação coordenada dos países ocidentais de expulsão de diplomatas russos, na sequência do envenenamento do ex-espião Serguei Skripal

A Austrália anunciou esta terça-feira a expulsão de dois diplomatas russos dentro de sete dias, no âmbito da retaliação coordenada pelos países ocidentais em resposta ao envenenamento com gás tóxico do ex-espião Serguei Skripal no Reino Unido.

"Essa decisão reflete a natureza chocante do ataque, a primeira utilização ofensiva de armas químicas na Europa, desde a Segunda Guerra Mundial, com uma substância letal numa zona habitada, colocando em risco um número desconhecido de pessoas", afirma o primeiro-ministro asutraliano, Malcolm Turnbull, em comunicado.

Os Estados Unidos também anunciaram, na segunda-feira, a expulsão de 60 "espiões" russos e uma ordem de encerramento do consulado da Rússia em Seattle, em resposta ao envenenamento com gás tóxico do ex-espião Serguei Skripal.

A medida insere-se na ação coordenada dos países ocidentais e foi divulgada no mesmo dia em que a Alemanha, Polónia e Lituânia anunciaram a expulsão de quatro diplomatas russos cada um, a Dinamarca dois e a Ucrânia 13.

Segundo a BBC, França também expulsa quatro diplomatas.
O presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, anunciou na segunda-feira que 14 países da União Europeia decidiram expulsar diplomatas russos, na sequência deste caso, mas sem especificar quais.

"Na semana passada, o Conselho Europeu condenou da forma mais veemente possível o ataque de Salisbury. O Conselho Europeu concordou que é altamente provável que a Rússia seja responsável e que não há nenhuma explicação plausível alternativa [para o ataque]", disse Donal Trusk.