Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Justiça marca o ritmo na Catalunha

Foi o fim das aspirações de Turull para suceder a Puigdemont, cuja ausência do parlamento é assinalada por um laço amarelo

Alberto Estevez

Independentistas voltaram a não conseguir eleger um presidente do governo regional. Eleições à porta?

O relógio eleitoral voltou a funcionar na Catalunha. Se no próximo dia 22 de maio não houver um presidente do governo regional empossado, os catalães voltarão a ser chamados às urnas a 15 de julho. Não é hipótese a descartar, dado o tortuoso caminho empreendido pelos grupos independentistas, maioritários no Parlamento catalão.

Para ler o artigo na íntegra, clique AQUI