Siga-nos

Perfil

Expresso

Internacional

Trump diz que já tem dinheiro para começar muro com México

Jabin Botsford/The Washington Post via Getty Images

O anúncio do Presidente norte-americano surge no dia em que republicanos e democratas alcançaram esta quarta-feira um acordo para o orçamento da administração

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse esta quarta-feira que conseguiu financiamento para iniciar a construção do muro na fronteira com o México graças ao acordo sobre o orçamento alcançado entre republicanos e democratas.

"Consegui 1.600 milhões [de dólares, quase 1.300 milhões de euros] para começar o muro na fronteira sul, o resto chegará", afirmou na rede Twitter o chefe de Estado, que tinha pedido ao Congresso 25 mil milhões de dólares (20 mil milhões de euros) para esta construção, uma promessa eleitoral.

Republicanos e democratas alcançaram esta quarta-feira um acordo para o orçamento da administração, que contém uma verba para o muro com o México e prevê um grande aumento dos gastos com a defesa (78 mil milhões de dólares; 63 mil milhões de euros).

O Presidente também se referiu aos 'dreamers' ("sonhadores"), os jovens indocumentados em risco de deportação, cujo futuro esteve em cima da mesa durante as negociações e que o acordo agora alcançado nem sequer menciona.

Os democratas condicionavam o seu apoio ao orçamento à regularização destes jovens, mas acabaram por ceder na negociação.

"Os democratas não quiseram tratar do DACA [sigla em inglês do plano, aprovado pelo seu antecessor, Barack Obama, que beneficiava os "sonhadores"]. Teria sido muito fácil, mas eles simplesmente não quiseram saber. Eu tive de lutar pelas forças armadas e início do muro", lê-se na mensagem, publicada ao final da noite de quarta-feira na rede Twitter.

O acordo prevê ainda 52 mil milhões de dólares (42 mil milhões de euros) para programas sociais domésticos.

O líder dos democratas no Senado, Chuck Schumer, disse estar satisfeito com o acordo, apesar das concessões.

"Cada projeto de lei exige um compromisso e neste projeto de lei houve muitos, mas no final, nós, os democratas, sentimo-nos muito bem porque muitas das nossas prioridades para a classe média foram incluídas", disse, em comunicado.

Trump, por seu turno, lamentou ter tido de "gastar dinheiro em presentes para os democratas" para que apoiassem um aumento salarial dos militares e a compra de novos equipamentos.